Atletas juizforanos conquistaram vários títulos na Marathon Cup 2014, em Santana do Deserto (MG)

 Thiago Aroeira, Felipe Marques e Roberta Stopa foram destaque, mas Giulio Caruso, Ricardo Leite, Sayder Bruck, Jamile Lamha e a dupla Viviane Castellões e Carlos Stephan também deixaram sua marca nas disputas

Cléber Santiago (4º) e Giulio Caruso (5º) no pódio da Master A (Foto: arquivo Dinartt Fagundes)

Cléber Santiago (4º) e Giulio Caruso (5º) no pódio da Master A (Foto: arquivo Dinartt Fagundes)

O final de semana foi de muita adrenalina para os entusiastas das bikes na região, que se aventuraram em 38km de Ciclismo de Estrada (Speed), sábado, 31, e 46km de Mountain Bike Marathon XCP, domingo, 1º de junho, agitando as provas da quinta edição da Marathon Cup e a cidade de Santana do Deserto, a 61km de Juiz de Fora. Vários atletas da região pegaram pódio e foram premiados nas disputas.

Speed

No primeiro dia, destaque para a Equipe UFF de Ciclismo, que dominou o pódio da Elite, como conta o campeão Felipe Marques.

“A prova era curta, porém, num terreno duro e com muitas subidas, sem falar no asfalto, muito grosso, que dificulta o rendimento da bicicleta. Mas nossa tática funcionou perfeitamente, minha equipe me ajudou a ganhar a prova e, de quebra, fizemos do primeiro ao terceiro, comigo, David Leite e Emerson Santos”.

Os ciclistas Cléber Santiago e Giulio Caruso (ERT Uniformes) terminaram o speed em quarto e quinto lugares na categoria Master A (30 a 39 anos). “Prova pesada, de pura montanha. Foi difícil também porque todas as categorias largaram juntas e a Elite colocou o ritmo. Foi um bom treino para a Copa Rio de Janeiro, esta semana, em Conservatória (RJ), que será a única etapa de montanha. Lá serão 80km e tenho que defender minha camisa de líder”, antecipou Giulio.

Geral no MTB

Campeão da categoria Sub-50 uma semana depois de vencer a Sport Sub-50 na segunda etapa do Big Biker Cup 2014, Ricardo Leite (Pulse Academia / Pinabikes / Bossi) passou por alguns apertos, mas teve motivos de sobra para comemorar. “Foi muito concorrido. Andei no 3º pelotão, num grupo bem forte, que me ajudou a abrir vantagem sobre meus adversários. Durante o desenrolar da corrida, os atletas desse grupo foram alternando as posições, fazendo um revezamento de líderes e mantendo uma forte média de velocidade, mesmo tendo inclinações constantes do terreno. No meio dessas disputas, um adversário me distraiu e quebrei dois raios da minha roda dianteira. A partir dai, fui muito conservador nas minhas descidas, perdendo contato com o grupo, mas fechando em 15º geral”.

Sayder Bruck em Santana do Deserto (Foto: arquivo Sayder Bruck)

Sayder Bruck em Santana do Deserto (Foto: arquivo Sayder Bruck)

Pela quarta vez na competição, o ciclista Sayder Bruck (Dinossauros MTB / Garantia Engenharia / Bellini Bicicletas) comemora a ascensão pessoal a cada novo desafio do evento. Segundo colocado em 2011 e terceiro em 2012 pela categoria Over 50, além de terceiro colocado novamente em 2013 pela Sub 55, ele se consagrou campeão no MTB deste ano pela Over 55.

“Prova muito top. Trajeto bem elaborado, trechos de velocidade mesclados a subidas fortes, single track com descidas fortes. Mantive um bom ritmo desde o começo da prova, fiquei junto com um pelotão de uns oito atletas do km10 ao 30. Depois consegui abrir um pouco, cheguei no Cristiano Batalha e ficamos juntos até o km40, quando faltavam 8km para o final. Daí, estava bem e imprimi um ritmo mais forte, completando a prova em 2h19min”, lembrou.

Na categoria Dupla Mista, vencida pelo casal Sara Rodrigues e Felipe Gazzola (Saúde Perfomance), os bikers Viviane Castellões e Carlos Stephan (Long Life) estrearam na disputa e foram vice-campeões.

Viviane Castellões e Carlos Stephan (amarelo) no pódio da Dupla Mista (Foto: arquivo Viviane Castellões)

Viviane Castellões e Carlos Stephan (amarelo) no pódio da Dupla Mista (Foto: arquivo Viviane Castellões)

“Muito sobe e desce, mais sobe do que desce. Mas foi numa descida em sigle track bem técnica que pude fazer uma rápida avaliação da minha evolução e aproveitamento com o treinamento, de pouco mais de dois meses, com a Roberta Stopa. Vi muita gente descer da bike, empurrar, cair… Vencer aquele trecho me fez crescer na prova, estava bem e imprimi um ritmo forte, mas meu parceiro sentiu e teve uma câimbra brava nas duas pernas. Tivemos que parar e perdemos tempo ali”, relatou Viviane.

A situação dos dois logo se normalizou, como completou a ciclista. “Puxei ele com a câmara de ar do meu pneu, até que a dor amenizou e seguimos juntos num ritmo mais moderado. Queríamos chegar, e chegamos. Foi duro, mas o legal da dupla é isso: um incentiva o outro. Ele mesmo relatou que teria abandonado a prova se eu não estivesse ali, de tanta dor”.

Na ponta da Elite

Do speed para o MTB, Felipe Marques confessou precisar de uma série de cuidados para se recuperar e correr bem, de novo.

Felipe Marques (2º) no pódio com o também juizforano Thaigo Aroeira da Elite masculino (Foto: arquivo Diego Santos)

Felipe Marques (2º) no pódio com o também juizforano Thaigo Aroeira da Elite masculino (Foto: arquivo Diego Santos)

“Acordei confiante. Na primeira subida, dei um forte ataque para selecionar o pelotão, foi onde ficamos eu, Thiago Aroeira (vencedor da prova e também de JF) e mais um atleta da Sub 23 fazendo um revezamento forte. Já depois da metade, o Thiago lançou um ataque numa subida dura e, logo após, tinha uma descida bem técnica, onde ele abriu de mim mais ainda. Fiz de tudo para alcançá-lo, mas não consegui. Mas estou feliz com meu segundo lugar, porque ele é só do MTB, atleta muito forte, que já foi campeão brasileiro, e, no momento da prova que eu tive mais dificuldade, foi onde ele usou todas as suas habilidades e abriu grande diferença de mim”.

Já na Elite feminino, a biker Roberta Stopa (Damatta / Dabomb / X-Fusion) foi o grande destaque, além de dividir o pódio com a companheira Jamile Lamha (Long Life), terceira colocada.

Jamile Lahma e Roberta Stopa (arquivo Fabiana Rocha)

Jamile Lahma e Roberta Stopa (arquivo Fabiana Rocha)

“Fui para essa prova com uma carga grande de treinos, como um de 4h30 no sábado, pois estou visando o Brasil Ride no final do ano, prova de sete dias na Chapada Diamantina. Usei a Marathon Cup como uma prova treino, mas não me polpei para estar no lugar mais alto do pódio. Fiquei com o primeiro na categoria e em 28º geral, super satisfeita, porque consegui andar com os meninos mais fortes e fechei em 1h54″, revelou.

Sobre o resultado de Jamile, a empolgação foi mantida. “Essa não foi a primeira vez que subimos ao pódio juntas. É a terceira, acho. Mas é super legal, companheirismo total. O mais gostoso é ver o prazer que ela tem de estar com os amigos, ver sua superação e aumento do nível técnico em apenas dois anos de treinos”.

Roberta ainda se espelhou no terceiro lugar da segunda etapa da Copa Internacional de Mountain Bike (CIMTB), em São João del-Rei (MG), e no título do 11º Desafio Internacional 70km de Brasília (DF), nos dois finais de semana anteriores, para manter o foco e seguir firme na busca de uma vaga para as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro (RJ). “Mesmo não sendo a 1ª colocada sempre, fico satisfeita com meus resultados. O objetivo este ano é melhorar a performance, o desempenho e os pontos no ranking internacional, que é quem vai decidir a seletiva do atleta para representar nosso país. Já temos uma vaga garantida nas duas categorias pelo país ser sede, e estamos em busca de mais uma”, encerrou.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *