Amanda Oliveira garante vaga no Pan-Americano de Cross. “Estou muito feliz pela conquista”

*Reportagem: Priscila Oliveira

A semana que antecedeu a primeira grande competição do ano não foi fácil para Amanda Oliveira (Fac. Granbery/ Real Mercês/ Sicoob/ NutriMais). Federada pelo CRIA UFJF, a mercesana, de 22 anos, manteve uma sequência especial de treinamentos para a Copa Brasil de Cross Country. Pela frente, o objetivo de fazer jus ao favoritismo e alcançar o bicampeonato da prova principal – os 10km adulto, que ela havia vencido com louvor no ano passado. Porém, os planos precisaram ser reajustados.

Representante de Mercês foi 3ª colocada nos 10km adulto da Copa Brasil de Cross Country, realizada sábado, no Espírito Santo (Foto: arquivo pessoal)

“Desde a outra sexta-feira, 10, eu estava com a garganta ruim. Quinta-feira, 16, na véspera da viagem para a competição, notei que a gengiva estava dolorida, pus a mão e percebi que estava inflamada. Quando vi, era infecção no ciso. Graças a Deus, conseguir ir ao dentista no mesmo dia, mas fiquei a semana toda derrubada, bem para baixo. Tem momentos que são assim mesmo. Fazer o quê?”, revela.

Mesmo encarando a luta pelo primeiro lugar como um pouco mais distante, a atleta não se deu por vencida e embarcou para Serra, no Espírito Santo, pronta para brigar pelos primeiros lugares da categoria feminina. E deu certo. Foi terceira colocada na disputa, após completar as cinco voltas do circuito, formado no condomínio Alphaville Jacuhy, em 39min33s. “Estou muito, mas muito feliz pela conquista. Foi uma prova bem dura. O clima estava bem seco. O percurso era bastante plano, mas bem desafiador. Saí junto com as meninas e, na segunda volta, fui distanciando da quarta e da quinta colocadas, mantendo meu ritmo. Foi bem pesado mesmo, mas, com toda a garra e determinação, consegui meu objetivo e estou imensamente feliz e orgulhosa de mim mesma”.

Rumo ao Canadá

Com o título, a representante de Mercês se qualificou para integrar a seleção brasileira no Campeonato Pan-Americano de Victoria, no Canadá, previsto para o dia 29 de fevereiro. “A palavra que me resume é superação! A gente jamais deve desistir dos nossos objetivos. Lutei até o fim, fiz careta, mas não desisti de buscar uma boa colocação. Só tenho a agradecer a Deus e à minha família, que eu amo muito. A todos os meus amigos e colaboradores, que ficam sempre na torcida. Essa conquista é para todos vocês. Amo muito”, finaliza alegremente.

Após estrear em competições internacionais ano passado, no Equador, ela volta defender as cores verde e amarelo no Canadá, em fevereiro (Foto: Hugo Keyler/Rumo Certo)

Sobre seu segundo torneio fora do país, já que ela disputou o Sul-Americano de Cross no Equador em 2019, Amanda segue em busca de bons resultados. “A expectativa está lá no alto. A gente vai em busca de fazer sempre o nosso melhor. Estou muito feliz de poder representar a seleção brasileira e de ter conseguido esse mérito, que é tão difícil, porque a batalha não é fácil. Temos dias de luta. É muito esforço. Mas, vou dar o meu melhor, focar mais nos treinos agora e partir para cima. Sei que lá a gente vai competir com as melhores, mas isso nos faz evoluir cada dia mais, que é o nosso objetivo. Então, é foco sempre”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *