ARTIGO: 10 hábitos que prejudicam seu treino

Eles parecem inofensivos, mas podem ser os vilões da performance de quem está começando a correr. É fato: alimentação adequada e um bom treinamento ajudam a melhorar o desempenho durante a corrida. Mas existem alguns hábitos comuns no dia a dia que podem prejudicar os treinos de quem está dando os primeiros passos no esporte – e colocar tudo a perder. Confira aqui como ficar longe desses vilões!
1. Não consultar um médico
Correr é uma atividade empolgante. Você começa com um treininho e vai aumentando o tempo, a distância… Sem perceber, passa a correr horrores. Mas, será que você fez uma consulta médica antes de se jogar na atividade? Geralmente, as pessoas esquecem disso. Portanto, tenha muita atenção: faça os exames necessários, a fim de checar se está tudo certo com a sua saúde (articulações, pressão, coração, músculos e circulação). Encarar uma rotina de treino é um hábito incrível, mas pode prejudicar a sua saúde se não estiver tudo sob controle.
2. Usar tênis novo no treino
Ledo engano acreditar que tênis recém-adquiridos são garantia de sucesso no treino. Os tênis precisam estar gastos e com o formato de seus pés para não machucar, fazer bolhas ou até mesmo causar alguma lesão mais séria – como uma torção, por exemplo. Compre o tênis e use-o por pelo menos uma semana no dia a dia antes de fazer a estreia no treino.
3. Não descansar o suficiente
Sabemos que o corpo humano precisa de sete horas diárias de sono, mas, geralmente, não respeitamos essa recomendação. Muitas vezes, com a correria do dia a dia, nem é possível respeitar. Porém, e bom saber que iniciar um treino com o corpo cansado aumenta o risco de lesões – e todo o prazer gerado pela endorfina pode ser jogado fora. Exausto, você se sente pesado, sem disposição e não vai cumprir corretamente sua planilha. Portanto, se não estiver bem, descanse.
4. Aumentar o ritmo sem estar preparado
A corrida vicia e, num piscar de olhos, sem perceber, você aumenta o tempo e o percurso habituais. Será que está preparado para isso? O aumento, tanto da distância quanto do tempo, deve ser gradativo e preferencialmente acompanhado por um profissional, para que não haja um desgaste maior do que o corpo aguenta. Estressar a musculatura e a mente é perigoso e não vale a pena.
5. Sentir dores e não parar o treino
É normal sentir certo desconforto, principalmente quando você começa a correr. No entanto, dores no peito, braço ou estômago podem ser sintomas de que algo não está muito bem. Se o desconforto vier acompanhado de sudorese excessiva, então… é hora de parar o treino e ouvir o corpo. Se as dores durante as sessões seguintes persistirem, procure um especialista. Sua saúde é mais importante do que tudo.
6. Não controlar a alimentação
Aqui, não é questão de fazer dieta. Treinar requer controle do que se come, afinal, o corpo precisa de mais nutrientes para suportar a rotina de treinos. Muita gente acredita que se entupir de isotônicos, vitaminas ou carboidratos, importantes para gerar energia, é a melhor solução. Nada disso. Em excesso, todos causam mal estar. Os isotônicos, por exemplo, são ótimos para hidratar rapidamente o corpo; em contrapartida, se ingeridos em excesso, podem causar problemas, por causa da quantidade de sódio. O mesmo vale para suplementos alimentares, comumente utilizados por esportistas. O ideal é procurar um nutricionista para adequar sua alimentação à rotina de treinos.
7. Treinar ladeira abaixo
Um dos fatores mais prejudiciais para as articulações é correr ladeira abaixo. Além do esforço duplicado para manter o equilíbrio, você tem que lutar contra o impacto e a força das passadas, e pode se desgastar muito mais. Se a ladeira estiver em seu percurso, tente controlar a velocidade e amenizar o treino na descida.
8. Não aquecer o corpo
Nem tente começar a correr sem fazer um aquecimento antes. Aquecer o corpo é fundamental para que seu treino renda mais e para evitar possíveis lesões. Pequenas trotadas ou uma caminhada em ritmo moderado para forte são as melhores opções. Cuidado com o alongamento antes do treino: se você exagerar na amplitude dos movimentos ou no tempo de duração da postura, pode causar estiramento das fibras musculares e se machucar.
9. Ignorar a frequência cardíaca
Treinar sem acompanhar seus batimentos cardíacos é um grande erro. Além de usar o frequencimetro nos treinos, é sempre bom conferir sua frequência cardíaca logo ao acordar. Se estiver dez ou mais batimentos acima do normalmente encontrado em suas aferições, fique atento: pode ser um sinal de que seu corpo não está recuperado da atividade física feita anteriormente.
10. Não realizar treinos complementares
Correr é tudo de bom: emagrece, melhora o condicionamento físico, dá energia… Entretanto, ao fazer sempre o mesmo exercício, o corpo se acostuma e entra numa zona de conforto. Sem contar que, se você não realizar um trabalho muscular paralelamente à corrida, pode haver o risco de lesão. Para que isso não aconteça, coloque na rotina uma outra atividade física – vale musculação, funcional, pilates, yoga, circo ou qualquer outra modalidade que lhe dê prazer.
Vamos praticar saúde!
Pedro Paulo Duarte
profissional de educação física
CREF: 008002-G/MG

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *