ARTIGO: Mitos e verdades sobre a corrida

Saber quais regras seguir, como se aquecer, o que e mito e o que é verdadeiro são dificuldades reais para os iniciantes – e até para alguns veteranos – na corrida. Afinal, como um telefone sem fio, diversas teorias são criadas, alteradas e repetidas, e dificilmente sabemos qual seguir fielmente para melhorar nossos desempenhos. Esses são alguns dos mitos e verdades desenvolvidos pelas crenças populares no mundo da corrida:
Se alongar sempre antes de treinar
O alongamento estático, esticando e puxando os músculos, é muito menos eficiente do que um alongamento dinâmico, com polichinelos, saltos, agachamentos etc. para o pré-treino. No entanto, o aquecimento continua sendo vital e indispensável, mesmo com o alongamento dinâmico.
Corrida é mais efetiva do que caminhada 
Afinal, o que determina um treino melhor do que outro? Você que define, a partir do seu objetivo. Se deseja emagrecer, melhorar seu condicionamento, tonificar os músculos, você é quem altera o ritmo e intensidade da caminhada ou da corrida. Para muitos, uma boa caminhada pode ser muito mais produtiva do que praticar uma corrida, e vice-versa.
Cãibras são causadas pela falta de potássio
Na verdade, pode ser causada sim pela falta de potássio, mas muitos fatores antecedem essa deficiência, como baixos níveis de magnésio e sódio, hidratação insuficiente, falta de alongamento e excesso de esforço. Ou seja, não adianta ingerir mil bananas depois de sentir cãibra; o melhor e parar, se hidratar, alongar a região afetada e esperar a dor passar.
 
Correr agasalhado ajuda a perder peso
Jamais! Fazer isso é mais perigoso do que se imagina… Ao correr agasalhado, há um aumento de temperatura no organismo e o corredor corre sérios riscos de desidratação.
Correr em jejum ajuda a emagrecer
Correr em jejum é contraindicado por comprometer a saúde de um modo geral. O corredor em jejum está em débito energético, que comprometerá a qualidade de seu treino.
Correr prejudica os seios e o bumbum
Não. No caso dos seios, existem tops tecnológicos especializados para segurar o movimento e fixar o peitoral. O que faz cair os seios e o bumbum são a idade, a gravidade e uma alimentação ruim, com o ganho de gordura nessas regiões.
Corrida envelhece a pele
De fato, durante a prática de atividades físicas intensas, o corpo produz mais radicais livres. Porém, o organismo dos praticantes fabrica mais substâncias antioxidantes, capazes de combater os radicais livres, gerando uma compensação. Além disso, os exercícios aeróbicos favorecem a circulação sanguínea, o que melhora a nutrição da pele. quem corre ao ar livre não pode se esquecer de usar protetor solar, já que os raios ultravioleta (UV) provocam inúmeros danos à pele.
 
É proibido correr na gravidez
O mais comum é reduzir o volume e a intensidade dos treinos – os batimentos cardíacos não devem ultrapassar 140 por minuto. Mas, se a gestação vai bem e seu médico a liberou para correr, é possível ir em frente até o oitavo mês, quando o melhor é mudar para uma caminhada leve. Completar a corrida com uma modalidade de baixa intensidade (como ginástica funcional ou localizada sem carga) é uma boa alternativa para reforçar a musculatura, pois a oscilação dos hormônios nesse período deixa as articulações sensíveis e carentes de sustentação. Outra medida importante é ficar atenta a dores nas regiões lombar e pélvica, estabilidade da frequência cardíaca e perda de urina quando corre, que podem indicar se é necessário interromper ou adaptar o exercício.
Corrida detona os joelhos
Conforme o volume e a frequência da prática, a corrida pode, sim, machucar os joelhos. As mulheres são mais vulneráveis a ter desequilíbrios nessa articulação, por causa da anatomia e da menor quantidade de músculos protegendo a região. Mas correr pode ter impacto positivo na saúde dos joelhos – quando associada a exercícios de fortalecimento para a musculatura das coxas, é possível estabilizar a articulação, preservar a cartilagem e evitar lesões.
Musculação ajuda na corrida
O fortalecimento muscular é primordial para garantir a segurança e aumentar o desempenho do praticante de corrida. Isso porque ele estabiliza as articulações e funciona como amortecedor, diminuindo o risco de lesões.
Por mais que não queiramos, é comum ouvimos algumas dessas crenças e, muitas vezes, acreditarmos nelas. O importante é sempre procurar um profissional e se exercitar com qualidade. Bora treinar e praticar saúde!
Pedro Paulo Duarte
profissional de educação física
CREF: 008002-G/MG

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *