ARTIGO: Treino regenerativo: grande aliado para aliviar tensões

treino-regenerativo

O último treino foi muito intenso. Mas perder o ritmo agora pode resultar numa queda de rendimento e a superação daquela marca pode não vir. Porém, mais um longão forte como esse pode forçar demais os músculos e te deixar suscetível a lesões, jogando no lixo toda a periodização.

 

Esse pensamento, por mais inexperiente que soe, acaba se tornando algo corriqueiro na vida de muitos esportistas. É difícil para um atleta que não tem acompanhamento, ou até para alguém experiente, analisar precisamente qual é o limite do corpo.

 

Conseguir conciliar treinos fortes com sessões mais moderadas é um dos grandes segredos para ter uma vida atlética saudável. Todo treino mais pesado precisa ser seguido de uma sessão regenerativa.

 

Após uma atividade física, as fibras musculares sofrem microlesões e, ao contrário do que parece, continuar se exercitando ajuda na recuperação dos músculos. Porém, em alguns casos, um dia de descanso pode ser considerado como uma sessão regenerativa.  O que atletas amadores precisam se preocupar é em descansar.

cross-training-linkfitness

Cross trainning: Uma maneira eficiente de acelerar a recuperação do corpo e poupar as articulações e ossos dos impactos gerados pela corrida é procurar praticar outros esportes que gerem baixo impacto, como a natação e o ciclismo. Sempre que se falar de treino regenerativo, o atleta precisa pensar em baixa intensidade, até mesmo quando se usa a corrida como recuperação.

 

A  função do treino regenerativo é aumentar o aporte sanguíneo nos músculos, fazendo, assim, com que mais oxigênio e nutrientes sejam levados até as áreas requisitadas para a execução do exercício físico. Com mais oxigênio e nutrientes nas regiões com microlesões acontece uma “cicatrização mais rápida”. Na parte nutricional outros dois processos são muito importantes na hora da recuperação muscular: uma porção de carboidrato e outra de proteína, logo após a atividade, são essenciais.

 

Além disso, compressas de gelo também influenciam positivamente caso a fadiga (dor muscular) esteja intensa. Com uma bolsa de gelo, deve-se massagear a área por cerca de 20 minutos. Essa massagem deve ser dinâmica e nunca estática. Isso é o que chamamos de “varredura”.

 

Vamos nos dedicar aos treinos, contudo, sem exageros. Bora praticar saúde!

Prof. Esp. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG
Tel: (32) 9982-9309
*Imagens: reprodução web

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *