Atleta do Bom Pastor conquistou três ouros e uma prata no Circuito Caixa de Natação Paralímpica

Foi a primeira vez que Paulo Soares disputou um torneia nessa modalidade

Torneio reuniu atletas de cinco estados no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação / Federação Brasileira Paralímpica)

Torneio reuniu atletas de cinco estados no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação / Federação Brasileira Paralímpica)

Nadador há quase 45 anos e com uma deficiência permanente na perna direita, provocada por um acidente que o deixou imprensado entre dois carros no ano de 1995, o atleta e presidente do Clube Bom Pastor (CBP), Paulo Soares, tem motivos de sobra para comemorar. Representando o carioca Tijuca Tênis Clube, ele conquistou três medalhas de ouro (100m peito, 200m medley e 400m livre) e uma de prata (100m livre) nas disputas da etapa Rio-Sul do Circuito Caixa de Natação Paralímpica, que aconteceu na Cidade Maravilhosa, no último final de semana.

Um caldo de surpresa agradável

Acostumado a provas pela categoria Master e dono de um número incontável de títulos, entre eles, o de campeão e recordista mineiro, o nadador estreou nas paralímpicas e surpreendeu com tantos resultados positivos. “Me preparei, porque sabia que teria muita gente, mas foi uma surpresa agradável, ainda mais pela maioria dos atletas serem de faixas etárias bem abaixo da minha. Tenho 48 anos e descobri que ainda estou dando um caldo”, brincou.

Para ele, além da emoção de competir entre mais de 450 atletas do Rio de Janeiro, Espírito Santo, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, um dos pontos marcantes do torneio foi a inclusão social. “Todo mundo é tratado de igual para igual, é simplesmente fenomenal. Uma situação espetacular, num ambiente de alegria e com pessoas se superando o tempo todo. Nessas horas, a gente percebe que reclamar da vida por tão pouco é besteira”.
Atleta com o treinador Luiz Carlos Nery na etapa Rio-Sul do Circuito (Foto: arquivo pessoal / Luiz Carlos Nery)

Paulo e o treinador Luiz Carlos Nery na etapa Rio-Sul do Circuito
(Foto: arquivo pessoal / Luiz Carlos Nery)

Rumo às etapas nacionais

 
Segundo Luiz Carlos Nery, professor de natação do Clube Bom Pastor e responsável pelos treinos do “aluno”, esse desempenho foi muito bom, mas trouxe à tona uma situação local crítica. “A avaliação que faço, em primeiro lugar, é que Juiz de Fora precisa oferecer oportunidade para diversos campeões do esporte e da vida, que estão espalhados por aí. Mas estamos no rumo certo. Apesar da idade, ele está em franca ascensão, pois ainda temos muito a evoluir tecnicamente”, destacou.
Para o futuro, os próximos objetivos já estão traçados. “Estamos nos adequando ao ritmo de competições Paralímpicas que acontecerão durante o ano, pois o Paulo está atrás do índice para participar das etapas nacionais. Nossa meta é desenvolver um trabalho para os próximos dois anos. As etapas regionais acabaram e agora vamos enviar um ofício ao Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para fazer algumas tentativas em competições oficiais da Federação Aquática Mineira (FMA)”, concluiu o treinador.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *