BRASILEIRO DE ATLETISMO: Alunos do projeto social CRIA UFJF disputam Juvenil Interclubes

Eles querem melhorar suas marcas e um recorde mineiro ainda está em jogo até domingo

Jhonathan Elias, Neemias Alves, Maria Eduarda Olimpo e Adam Arroio (Foto: Hugo Keyler)

Jhonathan Elias, Neemias Alves, Maria Eduarda Olimpo e Adam Arroio (Foto: Hugo Keyler)

Integrantes do Centro Regional de Iniciação ao Atletismo da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), os alunos Adam Arroio, Camila Paiva, Maria Eduarda Olimpo, Jhonathan Elias Nicolau, Neemias Alves e Robison Gomes iniciam as competições deste ano representando a cidade mineira no Campeonato Brasileiro de Atletismo Juvenil Interclubes, que acontece de hoje até domingo, 11 a 13, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. O principal da equipe é testar os treinamentos do período de base entre os atletas mais experientes (já que cinco dos seis juizforanos estão com idades de 15 a 17 anos) e bater marcas pessoais no torneio, realizado no recém-inaugurado Centro de Atletismo Professor Oswaldo Terra. Para eles, as disputas são nas provas de 800 e 1500 metros meio fundo, 5000 metros fundo, 100 metros rasos e 100 metros com barreiras.

Cheios de oportunidade 

Um dos professores do projeto social CRIA UFJF, que oferece aulas de segunda a sexta-feira, de 14h às 16h, na pista de atletismo da Faculdade de Educação Física (Faefid), o mestrando Jefferson Verbena de Freitas explica que, mesmo sendo de categorias menores, os alunos estão compartilhando uma excelente oportunidade.

“O Brasileiro Juvenil é uma competição muito forte, com atletas de 18 e 19 anos concorrendo no adulto. Como é a primeira competição grande do ano, nossa ideia é de que os nossos alunos conheçam a pista deles e vejam como estão individualmente depois de passarem pelo período de base, quando realizamos um trabalho mais geral, de força e academia. Esse é um teste mesmo, estamos pensando no resultado pessoal e não no ‘final’. Cada um vai tentar melhorar seu desempenho, mas eles também tem chances de fazer um bom papel nas provas e ficar entre os três ou cinco primeiros colocados”.

Na mesma categoria

Único aluno com idade para disputar a categoria juvenil, Jhonatan Elias, 18, revela que sua paixão pelas corridas começou há três anos, por incentivo do próprio pai, o também corredor Alípio Nicolau.
Neemias e Jhonathan querem bater suas marcas (Foto: Hugo Keyler)

Neemias e Jhonathan querem bater suas marcas (Foto: Hugo Keyler)

“Ele começou a correr para emagrecer, porque estava obeso, e passou a participar das corridas do Ranking. Fizemos muitas provas longas juntos e, depois, o Neemias e o Adam me chamaram para treinar com eles no projeto. Participo das provas de 5000 metros há nove meses, e acho que elas são mais emocionantes porque a gente conta com a torcida do público na pista, diferente das corridas de rua, onde parece que estamos muito solitários na maioria do tempo. Apesar de serem muito diferentes, minha motivação para correr na pista e na rua é enorme”.

Vice-campeão mineiro juvenil e com o terceiro lugar na mesma competição pela prova de 5000 metros, que reuniu as categorias juvenil e sub-23 no ano passado, o atleta se diz “pilhado para caramba, mas muito empolgado com o Brasileiro”, pois treinou bastante e fez tudo o que era preciso para se sair bem na prova. Ele pretende fazer um tempo abaixo de 17 minutos.

Ainda na disputa dos 5 mil metros fundo, Neemias Alves, de 17 anos, se destaca por também ter integrado o amigo Adam Arroio ao CRIA UFJF. “A minha irmã veio para o projeto antes de mim e fiquei sabendo que eles davam musculação. Fiquei animado com o atletismo porque era doido para competir e a gente sempre tem essa oportunidade aqui. Como o Adam corre muito, falei para o professor que o traria também. Ele entrou na equipe no mesmo dia. Trocamos o futebol pelo atletismo e continuamos aqui, firmes e fortes”, lembra empolgado.

Com o segundo lugar nos 1000 metros com obstáculos pelo Mineiro Estadual e a terceira colocação nos 1000 metros rasos pelo Mineiro Regional, Neemias projeta seu próximo resultado. “Estou muito animado, porque esse é meu primeiro Brasileiro. Estou doido para competir entre os melhores do país, mesmo não estando no ranking. Minha marca é de 16min50s, então, quero fazer abaixo desse tempo”.

Maria Eduarda está ansiosa pelos 800m (Foto: Hugo Keyler)

Maria Eduarda está ansiosa pelos 800m (Foto: Hugo Keyler)

Foco no resultado

Mesmo não sendo de muitas palavras, Adam Arroio, 15, encara os 800 metros meio fundo como um trampolim para uma nova marca. “Participei da prova de 1000 metros do Brasileiro Mirim Interclubes e fiz 2min41s, ficando entre os sete primeiros. Os treinos para o Juvenil foram fortes e muito bons, pretendo fazer 2min03s. Meu envolvimento com o atletismo começou quando eu estava voltando do colégio. O Neemias me trouxe, gostei do que vi e estou aqui até hoje”.

Da mesma idade, na mesma prova em São Bernardo do Campo e muito falante, a incansável Maria Eduarda Olímpio vai além. “Já gostava de correr, corria na esteira, fazia uns 100 metros no campus mesmo e minha mãe resolveu me inscrever na Corrida da UFJF, só para participar e brincar. Fiquei em segundo lugar, me chamaram para entrar no projeto e continuei. Percebi que era atleta nos 1000 metros do Mineiro do ano passado, porque estava competindo e ainda não tinha essa noção de treinar, praticar o esporte de verdade. Fiquei em terceiro lugar e acabei percebendo que tudo era mais sério”.

Para ela, a ida a uma competição ainda maior ainda tem sentido de novidade. “Fui pega de surpresa sobre e estou na expectativa, apesar de nervosa. Os treinos ficaram mais apertados nos últimos dias, mas está tudo bem. Como vou disputar uma categoria acima da minha, acho que não vale a pena a gente se cobrar tanto para conquistar títulos, e sim para melhorar a marca, já que o treinamento foi forte. Não gosto de pensar nisso, mas, como tenho 2min37, quero ficar abaixo desse tempo”, completa.

Além da atleta, a aluna Camila Paiva, de 16 anos, representa a ala feminina do CRIA UFJF nas provas de 100 metros rasos e 100 metros com barreiras do Juvenil Interclubes.

Robison Gomes quer quebrar o recorde mineiro (Foto: Divulgação CRIA UFJF)

Robison Gomes quer quebrar o recorde mineiro (Foto: Divulgação CRIA UFJF)

Em busca do recorde mineiro

Diferentemente dos amigos, para Robison Gomes, 16, os 1500 metros meio fundo do Brasileiro representam exatamente a distância para bater um recorde mineiro da década de 1970. Sendo o mais experiente do grupo, com dois anos de equipe, e o tempo de 4min03s nesse tipo de prova, ele está pronto para fazer bonito no desafio.

“Depois que fiquei a 2s do recorde, veio esse desejo. Treinei bem forte, controlei a alimentação e o sono, e estou muito focado nessa possibilidade. A preparação física foi muito importante para que treinássemos bem. Estar no Campeonato Juvenil é participar de um alto nível do atletismo nacional. Temos certeza de que estamos preparados para competir bem e representar a UFJF”, antecipa. Ele complementa, falando que iniciou no atletismo por indicação médica. “Tinha uma grande aptidão física, mas queria fazer um esporte coletivo, como handebol, basquete ou futebol. Só que conheci o atletismo, me apaixonei e estou aqui”.

Essa é a segunda vez que Robison participa de uma competição nacional – a primeira foi nos 3000 metros do Brasileiro Escolar, onde fez 9min06s e ficou com o sexto lugar. Além disso, também disputou a seletiva do mundial, onde terminou em quarto.

O Brasileiro

Ao todo, o Campeonato Brasileiro de Atletismo Juvenil Interclubes reúne 661 atletas de 91 clubes de todo o país. Pelo menos dezesseis estados são representados, além do Distrito Federal. Todos os participantes possuem de 16 a 19 anos de idade.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *