Caminhada da Fé desafia juiz-foranos em mais de 300km até Aparecida

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: Arquidiocese JF

DSCN1226

Programação começou nesta quinta pela manhã, após missa na Capela de São Charbel (Foto: Arquidiocese JF)

Uma jornada de dez dias, reunindo a mesma quantidade de celebrações, com média diária de 30km percorridos e um total de 310km entre Juiz de Fora, em Minas Gerais, e o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, na cidade de Aparecida, localizada no Vale do Paraíba Paulista e considerada a Capital Mariana do Brasil. Demonstração de fé, momento de introspecção e chance de autoconhecimento são apenas alguns motivos que já levaram mais de noventa juiz-foranos a embarcar nesse trajeto desde que a Caminhada da Fé foi iniciada, em 2013. Na manhã desta quinta-feira, 20, 63 representantes locais reiniciaram a peregrinação, prevista para terminar no próximo dia 29.

“Sou comerciante, e o desejo de fazer a Caminhada da Fé surgiu quando vi uma pessoa em Juiz de Fora com a camisa da Romaria a Aparecida, de Cambuquira, no Sul de Minas. Tive a oportunidade de participar seis anos atrás, fiquei encantado e chamei três amigos para me ajudarem a fazer aqui na cidade. É uma caminhada religiosa, que tem missa todo dia. Rezamos o terço, nos distraímos bastante e temos contato com a natureza, com tudo aquilo que Deus criou para nós”, destacou um dos organizadores, Marco Aurélio Costa.

montagem meninas caminhada da fé

Peregrinação passou a contar com a presença de mulheres em 2015. A corredora Miriam dos Santos Brandão, embaixo, marca presença novamente (Fotos: Caminhada da Fé e arquivo pessoal)

Ele lembra que, nas duas primeiras edições, o grupo era formado apenas por homens, mas a situação começou a ser contornada pelas mulheres pouco tempo depois. “Percebemos que elas são fortes e também tem muita fé. Por isso, abrimos essa oportunidade em 2015 e estamos muito felizes, porque elas nos ensinam muita coisa, nos ajudam a caminhar, nos incentivam bastante e são muito unidas. É uma grande troca de experiências. Estamos todos integrados, somos uma só família”.

Participação feminina

Entre as 15 romeiras dessa edição está a corredora Miriam dos Santos Brandão (Clube Bom Pastor), que participa da Caminhada da Fé pela segunda vez. “O propósito é outro, que não performance, mas o fato de eu ter certo condicionamento me ajuda muito. Ano passado fui uma das poucas mulheres que não teve bolha no pé ou câimbra, e andava sempre com a turma da frente. Mesmo não sendo uma atividade tão intensa quanto a corrida, o que dificulta é a quantidade de dias percorridos. Começamos a caminhar 03:00 da manhã, então, até com isso a gente tem que se acostumar, porque ainda está escuro e muito frio”, relata.

A reza do terço no início da Caminhada, todos os dias, é combustível para cada novo desafio. Este ano, de forma inédita, a adesão do padre Érelis Camilo Resende de Paiva, da Paróquia Santa Rita, promete trazer uma energia a mais aos fiéis. Cada um caminha no seu ritmo e, no final, todo mundo chega. Para ajudar no trajeto, um carro de apoio disponibiliza água e frutas, e está sempre disponível para auxiliar quem estiver mais cansado. Já para minimizar os contratempos físicos, Miriam pontua alguns cuidados importantes. “Ir com a unha bem curtinha, usar meia bem fininha por baixo de uma mais grossa e passar muita vaselina nos pés. No caso das mulheres, é preciso desapegar mesmo, porque roupa, creme, banho quente, caminha gostosa… tudo fica em segundo plano. Esse é um retiro espiritual com atividade física – uma turma muito boa, muito especial. Encontramos paz e lugares lindos; é um encontro com nós mesmos, uma espiritualidade muito grande”.

fernando costa - pessoal

Aventureiro, o atleta Fernando Costa já participou das caminhadas Caminho da Luz e Passos de Anchieta (Foto: arquivo pessoal)

Estreante, mas nem tanto

Experiente nas corridas de rua, coordenador da veterana equipe Super Amigos e habituado a caminhadas ecológicas, o atleta Fernando Costa está pronto para fazer aquilo que mais estima. “Gosto de caminhar, de aventura e de manifestar minha fé em Deus e em Nossa Senhora desde garoto. Já fiz várias caminhadas longas, incluindo o Caminho da Luz e os Passos de Anchieta, além de outras sem viés religioso. Em 2015, quando tomei conhecimento da Caminhada da Fé, o pessoal já estava na estrada. Ano passado, por compromissos profissionais, não pude ir. Então, dessa vez me programei para participar”, comemora.

A motivação dele é um misto de fé, aventura e gosto pela atividade física. Como não poderia ser diferente, as expectativas são as melhores possíveis. “Muita interação entre os peregrinos e comunhão com a natureza, já que a maior parte do trajeto é por área rural. Também quero aproveitar os momentos de isolamento para meditar um pouco, pois a correria do dia a dia não me tem permitido a prática dessa atividade, que tanto gosto”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *