“Era importante competir bem”, ressalta campeão Sul-Americano sub-20 de olho no Pan

*Reportagem: Priscila Oliveira

A consagração de uma trajetória marcada por muita disciplina, dedicação e o sonho de chegar ainda mais longe através do esporte. Una-se a isso toda a estrutura, suporte técnico e social de um projeto de extensão que revela e forma verdadeiras promessas do atletismo em várias modalidades. Um dos resultados de sucesso da fórmula desenvolvida pelo Centro de Iniciação ao Atletismo da Universidade Federal de Juiz de Fora (CRIA UFJF) veio no último sábado, 15, em Cáli, na Colômbia, através de Luiz Mauricio Dias – nome já conhecido na cidade pelos lançamentos de dardo e disco.

Revelação do CRIA UFJF, Luiz Mauricio Dias chegou ao topo do pódio na Colômbia (Foto: Divulgação/CbAt)

Morador do bairro Nossa Senhora de Fátima, no entorno da Universidade, e contando com grande incentivo de uma família que se desdobra para manter sempre vivos seus objetivos dentro e fora das competições, o jovem de 19 anos chegou ao topo de uma história iniciada em 2012: sagrou-se campeão Sul-Americano Sub-20 após quebrar recordes estaduais e nacionais, e conquistar importantes índices para que chegasse tão longe e ganhasse ainda mais combustível para os desafios que estão por vir.

Melhor marca 

Com a marca de 71,17m, Luiz Mauricio se tornou o melhor da sua faixa etária no lançamento de dardo e deu a volta por cima após uma difícil atuação no Campeonato Mundial da categoria, ano passado. “Essa competição tinha uma atmosfera muito pesada, pelo Mundial da Finlândia. Por isso, era importante competir bem nesse Sul-Americano para dar tranquilidade para o Pan. Deu tudo certo e saiu PB”, comemora orgulhoso. A sigla citada significa Personal Best, ou seja, a melhor marca pessoal de um atleta.

Lançamento de 71,17m no dardo consolidou trajetória do atleta, que se prepara para competir na Costa Rica em julho (Foto: Wagner Carmo/Div. CBAt)

A sensação de dever cumprido é compartilhada por toda a equipe CRIA, especialmente pelo treinador Jefferson Verbena. “Estamos muito felizes! É uma das maiores conquistas que já tivemos no CRIA UFJF, principalmente pela expressão que é a marca que ele fez. Isso traz uma expectativa muito grande para o futuro do Luiz, que é um atleta que vem numa crescente desde sempre. A cada ano que passa ele tem conseguido melhorar sua marca – algo que é muito difícil dentro do esporte de alto rendimento. Isso é muito significativo e importante dentro do processo de formação”, ressalta.

Superando limites

Mãe de Luiz Mauricio, Cláudia Cristina Dias lembra que a ligação entre o atleta e o treinador  foi iniciada muito antes. “É muita emoção! A trajetória dele começou no futebol – primeiro no Zico, depois no Tupi. Ele também fez natação na UFJF, quando o Jeffinho ainda era estagiário. Depois, dois amigos apresentaram o atletismo para ele, que gostou bastante e começou fazendo corrida de rua. Fez outras modalidades também, mas se aperfeiçoou no dardo e no disco”.

A matriarca destaca que o esporte foi um verdadeiro divisor de águas para o filho. “A vida dele mudou muito, porque ele sofria bullying no colégio, aos 9 anos. Ele precisou fazer uma cirurgia nas orelhas, porque a auto-estima era muito baixa. Depois, ficou mais confiante. O atletismo ajudou muito nisso e tudo mudou: o desenvolvimento, interesse nos estudos e até mesmo na família. Ele sempre foi um bom menino, mas era muito tímido. O esporte foi uma boa aliança e melhorou muito a vida dele”, enfatiza.

Orgulhosa, a mãe, Cláudia Cristina Dias, se emociona: “Ele é o melhor filho do mundo” (Foto: arquivo pessoal)

Olho no Pan

De volta a Juiz de Fora nesta terça-feira, 18, Luiz Mauricio volta o foco para a próxima disputa. “Agora é ver os pequenos erros para melhorar ainda mais a marca e buscar medalha no Pan”. O Campeonato Pan-Americano está programado para acontecer entre os dias 19 e 21 de julho, em San Jose, na Costa Rica.

Para manter os bons resultados, o atleta não terá tempo para descansar. “Essa semana nós retomaremos os treinos e vamos tentar manter a condição física e técnica que ele tem nesse momento por mais um mês. Sabemos que não é fácil, mas vamos trabalhar duro para que isso aconteça e ele consiga representar muito bem o Brasil lá também e, quem sabe, melhorar ainda mais sua marca”, antecipa Jefferson Verbena.

De acordo Cláudia Cristina, apesar das dificuldades para manter tudo o que envolve as necessidades do atleta no esporte, a família não mede esforço para vê-lo seguir sempre adiante. “Eu e o pai dele nos desdobramos. Às vezes, trabalhamos em dois ou três lugares, mas, graças a Deus, tudo recompensa. Ele tem bolsa atleta, que não é muito, mas ajuda, além de ser muito compreensivo. Me emociono em dizer: o Luiz Mauricio é um presente de Deus! Pedimos um bom filho, mas não sabíamos que seria tão perfeito. É o melhor filho do mundo”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *