CARIOCA DE CORRIDAS DE MONTANHA: JF Mountain Club encara o desafio de Petrópolis

Criada especialmente para esta terceira etapa, os atletas da equipe veem a prova como um “divisor de águas” do campeonato

Etapa na Cidade Imperial deve definir candidatos ao título final (Foto: Divulgação)

Etapa na Cidade Imperial deve definir candidatos ao título final (Foto: Divulgação)

Nove atletas. Esse é o número de representantes de Juiz de Fora na categoria Longo da terceira etapa do Campeonato Carioca de Corridas de Montanha, neste domingo, 06, em Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. Integrando a equipe JF Mountain Club, criada especialmente para esse desafio, os corredores vão encarar quase 1500 metros de altitude nos 14km de percurso, que prometem muitas trilhas fechadas, espinhos e capins cortantes. Enquanto o principal objetivo de alguns deles é superar os próprios limites, a expectativa de outros é se manter firme no calendário – já que a maioria dos participantes e a própria organização veem a prova como um “divisor de águas” na corrida pelo título final.

Thaís Matioli e Rodrigo Aroeira (Foto: arquivo Thaís Matioli)

Thaís Matioli e Rodrigo Aroeira (Foto: arquivo Thaís Matioli)

Unidos pela corrida

A experiência da atleta Thais Matioli com corridas vem desde 2009. “Sempre fiz atividade física. Fiz ginástica olímpica quando era criança, comecei a frequentar academia na adolescência e, como tinha fascínio por corridas, pensei: vou correr também. Iniciei nos 5km da Corrida da Fogueira”, lembra.

O gosto pelas montanhas veio logo em seguida. “Fiz as competições cross country do XTerra, os 34km do Desafio da Serra de Ibitipoca em 2012 e 2013, e as maratonas do XC Búzios também. Nunca participei desse circuito do Rio de Janeiro, mas começar pela etapa mais difícil me motiva, porque adoro desafios. Prefiro correr trilhas por ter muitas subidas e os terrenos serem bem irregulares, o que torna essas provas mais interessantes do que as de asfalto”.

Ela ainda conta com um incentivo de peso para disputar o Carioca. “Estou indo com meu namorado (Rodrigo Aroeira), que também corre e já esta acostumado a provas desse tipo, apesar de gostar mais das de triathlon. Corremos juntos, fazemos treinos juntos e ele é meu treinador. O objetivo dele é completar a prova, enquanto estou indo porque vai ter muitas adversárias de peso. Se a vitória acontecer, será excelente, mas não vai ser fácil. Tenho certeza de que completar a prova e ficar numa boa colocação já está de bom tamanho”, complementa.

Rafael Frascaroli (Foto: XFoto Daniel Braga)

Rafael Frascaroli (Foto: XFoto Daniel Braga)

Estreando na mais difícil

Acostumado a provas de rua há quatro anos e fascinado pela natureza, o corredor Rafael Frascaroli conta que essa é sua primeira vez num desafio de montanha. “Sempre gostei do contato com paisagens naturais, é um fator motivacional. Já treinei em ambientes assim e são ótimas oportunidades para quem gosta de experimentar corridas, porque elas são totalmente diferentes do asfalto”.

Para ele, o que importa é aproveitar o máximo do circuito da Cidade Imperial, sem pensar nos resultados. “É mais por saúde e qualidade de vida, nada de alto rendimento. Aguentar eu sei que vou, mas ganhar também sei que não vou, sem dúvidas”, brinca sobre a estréia na prova com o maior nível técnico do campeonato.

Por resultados melhores

O atleta Eloiso André, que estreou no campeonato na etapa de Maricá, em 09 de março, aguarda por novas surpresas na região serrana. “Espero muita dificuldade, me falaram que é um divisor de águas sobre quem continua e quem para, tem um nível muito maior do que as demais provas. No meu conceito, estou preparado. Treinei bastante subida na UFJF, conheço cada centímetro da subida para as faculdades de Engenharia e Farmácia”, afirma.

Eloiso André, Luiz Bastos e Evandro Chicanele (Foto: arquivo Evandro Chicanele)

Eloiso André, Luiz Bastos e Evandro Chicanele (Foto: arquivo Evandro Chicanele)

Agora, o objetivo é controlar o próprio ritmo durante o trajeto. “Quero administrar a ansiedade e não queimar a prova no início, pois o desafio mesmo começa do 4º ao 11º km, é muito íngreme. No mínimo, quero repetir a última colocação, mas busco o 4º da faixa, para subir ao pódio”.

Quem também quer ficar entre os primeiros colocados é o corredor Evandro Chicanele, que conquistou o terceiro lugar e fez dobradinha com Luiz Bastos (campeão de Maricá e Penedo) na faixa 30 a 34 anos. “A expectativa é grande e, depois do resultado na segunda etapa, estou cada dia mais empolgado. Treinei bastante porque a altimetria é bem elevada, com descidas e subidas fortes, e quem não estiver bem preparado vai sentir. Também estou na cola do Luiz, fiquei apenas 30 segundos dele na Corrida da Suprema… Corremos muito bem”.

Já o amigo faz questão de pensar no grupo como um todo, e não no próximo título. “Estou muito feliz de ter conseguido juntar meus amigos e formarmos uma equipe para representar Juiz de Fora. Independente de onde cada um treina, vamos tentar pegar algum troféu por equipe”, finaliza Luiz.

          Clique AQUI para saber mais sobre o Campeonato Carioca de Corridas de Montanha.

Também fazem parte do JF Mountain Club os atletas Carlos José Esteves Souza, Renato Gomes e Heraldo José Gonçalves Maciel. As provas do Campeonato Carioca de Corridas de Montanha seguem até o mês de dezembro, passando pelas cidades de Teresópolis, Nova Friburgo, Maromba, Sana e Paraty.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *