Correr em excesso pode ser prejudicial

É difícil encontrar alguém que tenha começado a correr a abandonado o esporte depois de algum tempo. Pelo contrário, quem se entrega à corrida quer ir cada vez mais longe, estabelecendo novas metas e ampliando a dedicação. Porém, exagerar na frequência e carga dos treinos também pode ser tão prejudicial quanto não praticar atividades físicas. O corredor, muitas vezes movido pela empolgação, acaba excedendo seus limites.

correr em excesso overtraining - michal zacharzewski-stock.xchng - rep webrun

Foto: Michal Zacharzewski/Stock.Xchng / Reproduzida do Webrun

Segundo o Americam College of Sports of Medicine, existe uma carga ótima de corrida que deve ser respeitada. Essa carga é calculada em função do lastro, ou seja, toda a frequência de treinos realizada anteriormente. Sempre que o corredor cruza esse limite, o excesso começa a se manifestar de diferentes formas. Esse estado recebe o nome de overtraining. Entre os sintomas estão insônia; lesões osteoarticulares, como distensões; tendinites; fraturas por estresse; e cansaço permanente, que não desaparece com o descanso habitual.

Correr demais e não respeitar as próprias limitações também pode fazer com que o corredor se sinta mal durante os treinos e competições. Não são raros os casos de corredores que desmaiam durante as provas, principalmente as de longa distância. De acordo com um estudo recente, realizado por pesquisadores do Hospital Frederiksberg, em Copenhague (Dinamarca), o recomendado é que o corredor amador não treine mais do que quatro vezes na semana ou não ultrapasse o ritmo de 11 quilômetros por hora.

correr em excesso - rep o2 por minuto

Imagem: Reprodução / O2 por Minuto

A progressão no esporte deve ser lenta e gradual, nunca aumentando repentinamente a velocidade e quilometragem às quais o corredor está adaptado. Mas, o problema é exatamente esse. Hoje vemos que as pessoas estão ficando “escravas” da corrida e querem correr todos os dias, achando que isso é algo saudável. Os cientistas acreditam que, com o tempo, a corrida extrema pode provocar mudanças que prejudicam o funcionamento do coração e das artérias. É aquele velho ditado: “tudo que é demais faz mal”!

Correr pode ser uma atividade extremamente prazerosa e seus benefícios vão muito além da esfera estritamente fisiológica. No entanto, é preciso desmistificar a ideia de que é preciso correr muito para ser uma pessoa saudável. O objetivo, que é uma vida saudável, está logo ali à frente – basta ter um acompanhamento médico, respeitar a planilha de treino feita pelo professor de educação física e respeitar os dias de descanso. Se alimentar e se hidratar adequadamente também são medidas básicas e obrigatórias para quem deseja manter a saúde e o bom desempenho aliados ao esporte.

Tudo na medida certa é ideal para termos uma vida saudável. Bora praticar saúde!

Prof. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG, Tel:  (32) 9982-9309
personal.pedro.paulo@gmail.com

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *