Corrida, Caminhada X Tabagismo

 

corrida x tabagismo- rep ativo.com

Imagem: Reprodução / Ativo.com

Cerca de 15% da população brasileira fuma – um número ainda alto, porém, menor que os 35% da década de 80. Não se sabe ao certo quantas dessas pessoas correm ou praticam alguma atividade física; o que se sabe é que o cigarro não só atrapalha o desempenho como prejudica a saúde. O cigarro tem cerca de 4.720 substâncias. Existem três delas que comprometem muito o desempenho do atleta: nicotina, que diminui o tamanho das artérias que levam o sangue até o músculo, gerando um desempenho muscular bem menor, e ainda aumenta os batimentos cardíacos; alcatrão, que diminui a elasticidade do pulmão; e monóxido de carbono, que compete com o oxigênio – por isso que o indivíduo que fuma tem falta de ar.

Além dos problemas gerados pela dependência química, a fumaça do cigarro é capaz de originar uma das doenças mais temidas do século XXI: o câncer. Com o passar dos anos, as pessoas tem um risco maior de apresentar vários tipos de câncer, que vão desde a boca até a bexiga, pegando todo o trato digestivo e o aparelho respiratório.

Captura de tela 2015-11-20 13.56.43

Imagem: Reprodução / Ativo.com

Fumantes, compulsivos ou não, estão conseguindo substituir o vício do cigarro pela corrida – atividade igualmente viciante, mas, ao contrário da outra, muito saudável! Por mais distantes que sejam o fumo e a corrida, uma característica está presente em ambos: elas dão prazer. No cigarro, a nicotina absorvida pelos pulmões libera no nosso cérebro uma substância chamada dopamina, um neurotransmissor responsável pela sensação de prazer – por isso, a sensação de que fumar é “bom”, e daí o vício. Já quando corremos, após um determinado período de tempo, é liberado um hormônio chamado endorfina, responsável pela sensação de euforia e bem-estar que muitos praticantes de atividades físicas conhecem bem. A endorfina traz vários benefícios ao organismo, como melhora da memória, aumento do bom humor, aumento da resistência, aumento da disposição física e mental, melhora do sistema imunológico, bloqueio de lesões nos vasos sanguíneos, efeito antienvelhecimento (pois remove radicais livres), alívio das dores e melhora da concentração.

Portanto, alguém que está lutando contra o vício do cigarro, ou mesmo um fumante que esteja preocupado com sua saúde e buscando mais qualidade de vida, deve trocar aquele cigarrinho da manhã por uma boa caminhada, corrida ou qualquer outra atividade física que o agrade, como natação, musculação etc. É muito mais negócio trocar um prazer que faz mal por um prazer que traz saúde e disposição.

Vamos nos cuidar, e bora praticar saúde!

Prof. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG, Tel:  (32) 9982-9309
personal.pedro.paulo@gmail.com
Revista eletrônica Running News