Corrida pode ajudar a evitar osteoporose

caminhada e osteoporose - rep blog vale saúde

Imagem: Reprodução / Blog Vale Saúde

Provavelmente, você já ouviu falar na osteoporose – doença metabólica que leva à perda de massa óssea, diminuindo a resistência dos ossos e aumentando o risco de fraturas. A boa notícia para quem corre, no entanto, é que a atividade física pode ser uma aliada na prevenção da doença.

Muitos daqueles que de dedicam às passadas receiam desenvolver a doença por conta do impacto da corrida, já que a osteoporose  se dá quando os ossos estão enfraquecidos e qualquer trauma pode aumentar o risco de fraturas. Além disso, o medo também surge porque ela é uma doença silenciosa, que não causa sintomas até ocorrer a quebra do osso. Mas, na realidade, a lógica é inversa. A corrida, como outras atividades consideradas de impacto, como caminhadas e esportes coletivos, é importante para prevenir e tratar a doença.

A prevenção se inicia quando criança, através da alimentação correta e da prática regular de atividade física, que deve ocorrer ao longo de toda a vida. As primeiras três décadas de vida são o período em que o corpo armazena grande quantidade de cálcio nos ossos, e a manutenção da atividade física mantém o estoque ósseo pelo resto da vida.

Correr estimulada a retirada e o depósito de cálcio sanguíneo nos ossos, sendo importante na prevenção do problema. Além disso, o sedentarismo também é um fator  de risco para o surgimento da doença. Por isso, adicionar as passadas ao seu dia a dia e adquirir um estilo de vida saudável são uma ótima pedida, já que a atividade ainda auxilia na renovação celular.

caminhada e osteoporose - rep keep running

Imagem: Reprodução / Keep Running

Além do esporte, uma alimentação rica em cálcio (derivados de leite e vegetais) e uma exposição adequada ao sol para a síntese de vitamina D (tomando, claro, os cuidados necessários para evitar  superexposição solar e prejudicar a pele) também são medidas importantes para combater a doença. Mas, é importante salientar que as pessoas já detectadas com o problema precisam de liberação médica para praticar o exercício e devem focar os treinos de acordo com as limitações do corpo – principalmente os idosos, que devem ficar alertas devido ao alto risco de fraturas.

Apesar de ser três vezes mais frequente em mulheres, a osteoporose vem aumentando nos homens por conta do desconhecimento. Segundo pesquisa da Fundação Internacional de Osteoporose, feita em 12 países, 73% dos homens sequer sabem que podem ser afetados pelo problema. No Brasil, o desconhecimento é ainda maior, alcançando 90%.

Por isso, não custa ficar atento às principais causas que podem levar à osteoporose:

– Alimentação inadequada;

– Sedentarismo;

– Uso abusivo de álcool;

– Tabagismo;

– Uso crônico de medicamentos à base de corticoides;

– Algumas doenças reumatológicas;

– Baixa exposição à luz solar.

Vamos nos cuidar, e bora praticar saúde!

Prof. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG, Tel:  (32) 9982-9309
personal.pedro.paulo@gmail.com
Imagem de capa: Reprodução / Marathon Academia

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *