Corrida x Salto Alto

corrida x salto alto - rep o2 por minuto

Imagem: Reprodução / O2 Por Minuto

Muitas alunas na academia e no grupo de corrida me relatam constantemente que sentem dores na panturrilha ou na parte posterior da coxa, e minha primeira pergunta é se elas usam salto alto com frequência. Muitas mulheres tem adoração por esse tipo de calçado – que podem ser de vários tamanhos, alturas, cores e modelos. Contudo, por conta das alterações na postura, ele pode trazer desconforto ou complicações articulares para quem usa.

Em estudos recentes, por exemplo, verificou-se que saltos muito altos mudam a conformação dos pés, pois alteram a biomecânica da passada. Ao se equilibrar, a concentração do peso fica voltada para a parte da frente dos pés, o que pode provocar dores e calos. Pode também dificultar a flexão da planta do pé, prejudicando a circulação e potencializando a tendência ao aparecimento de varizes. O salto ainda “encurta” a musculatura da panturrilha e, consequentemente, o tendão de Aquiles. Dores no joelho, no arco anterior dos pés, joanetes, calos, tendinites, unhas encravadas e danos à coluna são outros problemas ortopédicos causados pelo salto alto. Por isso, mulheres, não exagerem na utilização desse tipo de calçado!

O Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte, em estudo recente, alerta que, por características atômicas, a articulação do fêmur com a patela nos joelhos femininos é mais lateralizada do que nos homens, ou seja, a patela fica mais “para fora”. Essa característica, associada à permanência no sapato de salto alto, também pode ocasionar lesões nos joelhos.

corrida x salto alto com tenis - rep 02 por minuto

Imagem: Reprodução / O2 Por Minuto

O uso do salto provoca hipertensão do joelho e caminhar muito ou ficar tempo excessivo com o calçado pode ocasionar dor, ou até uma disfunção ortopédica denominada femoropatelar. Ainda gera consequências associadas de tendinites, além de ‘encurtamento’ de cadeia posterior (músculos de trás da coxa). Também podem ocorrer instabilidade e degeneração da cartilagem da patela – a temida condromalácia patelar.

O problema é que algumas mulheres estão tão acostumadas a usar salto, que ele já é acessório indispensável em seu cotidiano. Para aquelas que não podem deixar de usar salto, seja por causa do ambiente profissional ou mesmo por vaidade, existe uma maneira menos prejudicial de utilizá-lo. Conversando com um amigo fisioterapeuta, ele disse que o primeiro passo é abandonar os saltos agulhas. Tentar usar o salto em momentos pontuais, não fazer dele um hábito, alongar diariamente a musculatura da panturrilha, cadeia posterior da coxa, lombar e sola dos pés também são boas alternativas. Se for usar salto muito alto num dia, prefira um calçado baixo no dia seguinte. E, sempre que possível, use tênis ou sapato baixo.

Não há desculpas. Bora praticar saúde!

Prof. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG, Tel:  (32) 9982-9309
personal.pedro.paulo@gmail.com

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *