Cuide melhor do seu amigo nas corridas: os pés

pés de corredor - rep shutterstock

Imagem: Shutterstock / Rep. SportLife

Você encara quilômetros e mais quilômetros de treinos, provas, subidas, descidas – no asfalto, na grama, na terra batida, na areia. E lá estão os pés, fazendo um esforço intenso para você chegar à reta final. Agora, olhe para baixo e veja como estão seus companheiros de corrida diária. Você sente algum incômodo quando treina ou participa de uma prova? A aparência deles indica que algo não vai bem? Se a resposta a uma dessas perguntas for sim, é bem provável que seus pés estejam precisando de mais atenção.

Durante um quilômetro de corrida, o pé bate no chão cerca de 700 vezes – e isso, claro, torna-o propenso a desenvolver alguma lesão. Se correr é ótimo para alguns músculos, por outro lado, deixa outros totalmente sem atividade, pois o movimento é sempre o mesmo, diferentemente de uma atividade funcional, em que variadas partes do corpo são ativadas. O resultado é um aumento do risco de contraturas na sola do pé. canela, tendão de Aquiles e tornozelo. Então, cuidar dos pés também proporciona um melhor desempenho na atividade.

O fortalecimento dessa região torna-se imprescindível. Pode haver fatores extrínsecos, não relacionados ao atleta, como excesso de treino, treinamentos longos em subidas e descidas, aumento súbito de velocidade ou distância; e fatores intrínsecos, ligados diretamente ao corredor (joelho vago), pronação excessiva dos pés (calcâneo pronado) ou atletas que aterrissam com o calcanhar. Seja como for, a melhor prevenção é o fortalecimento da musculatura, realizando exercícios funcionais para articulação do tornozelo e tendões. Cuidar da ‘saúde’ do pé é fundamental também.

O tênis deve ser, acima de tudo, confortável. Ou seja, correr com um calçado apertado é ‘roubada’, pois os pés reclamam em forma de bolhas, calos e outros incômodos, tipo a ‘unha preta’, presente mais em atletas ‘trail run’.

cuidado com o pé do corredor - rep 02 por minuto

Imagem: Rep. / O2 por Minuto

Manter o pé ‘cascudo’ é uma boa para quem corre. No entanto, se a pele da sola estiver grossa demais, pode cria fissuras que viram uma porta de entrada para fungos e bactérias. Mais do que isso, o corredor acaba mudando sua pisada para proteger aquela região e isso pode levá-lo a se machucar.

Evite cortar demais as unhas para evitar que os dedos fiquem sensíveis ao atrito ou evite deixá-las compridas demais, pois aumentam o atrito com o calçado, o que pode provocar seu deslocamento, tornando a região exposta aos fungos que causam a micose. Para as mulheres que tiram cutículas, evitar tirar ‘bife’ para não causar infecções.

Nada mais justo do que aumentar a saúde dos pés; são eles que ‘carregam’ o corredor por horas de corrida. Com esses cuidados, é possível melhorar a corrida do atleta e, consequentemente, o desempenho. Sem contar que seu melhor amigo nas corridas agradece!

Vamos nos cuidar, e bora praticar saúde!

Prof. Pedro Paulo Duarte Souza
Especialista em Treinamento Esportivo pela UFMG
CREF 008002-G/MG, Tel:  (32) 9982-9309
personal.pedro.paulo@gmail.com
Imagem de capa: Rep. / O2 por Minuto
* Referências: Revista SportLife e Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *