Desafio, diversão e alegria esperam atletas na 2ª Corrida, Passeio Ciclístico e Caminhada da ARPA

Sediado em Conselheiro Lafaiete, o evento leva aventura e consciência ambiental aos participantes

Atletas na 1ª Corrida da ARPA (foto: Divulgação)

Atletas na 1ª Corrida da ARPA (foto: Divulgação)

Incentivar a prática esportiva de maneira sustentável e colaborar para que os atletas tenham ideias e ações ecologicamente corretas. Esses são os principais objetivos da 2ª Corrida, Passeio Ciclístico e Caminhada Ecológica da ARPA, que entra na segunda edição este domingo, 16, prometendo um circuito ainda melhor e mais aventureiro para os participantes.

Realizada pela Associação Regional de Proteção Ambiental de Conselheiro Lafaiete, na região metropolitana de BH, e com o lema “Correr é bom. Correr interagindo com a natureza é ainda melhor”, o evento traz 7km de corrida, 5km de caminhada e 15km de passeio ciclístico, com concentração a partir de 7h e largadas específicas dentro do Parque Florestal Eurico Figueiredo (Avenida Geraldo Plaza, 100).

O organizador André Guedes destaca o que os atletas podem esperar deste ano. “Penso que nosso diferencial é o circuito desafiador, as categorias Militar, Dupla Mista e Dupla Pai e Filho, além do pódio ser de 5 em 5 e premiar os cinco primeiros colocados de cada categoria. Aos amantes do esporte, deixo um convite especial: além de ser uma ótima corrida, é a chance de rever os amigos e fazer outros novos”.

Ernani Souza, campeão masculino que busca o bi (Foto: arquivo pessoal)

Ernani Souza, campeão masculino que busca o bi (Foto: arquivo pessoal)

Em busca de outro pódio

Campeão em 2013, o atleta lafaietense Ernani Souza vê na corrida da ARPA uma oportunidade de se preparar para competições maiores. “Na verdade, minha principal modalidade é o duathlon, mas uso as corridas de rua como parte do treinamento. Estou em fase de preparação para o Campeonato Brasileiro de Duathlon, que acontece em abril. Como tenho uma corrida boa, acabo conseguindo me defender bem nas disputas e conseguindo um degrau no pódio”.

Este ano, ele quer dar trabalho aos concorrentes novamente, mas percebe que isso pode ser complicado do que imagina. “Sei que manter o título aqui em Lafaiete não será fácil, pois corredores de nível nacional, como o Jocemar Corrêa, de Juiz de Fora, estão inscritos. Isso vai dificultar a disputa, porém, também vai colocar a prova em evidência, devido ao interesse desses grandes atletas”, destaca.

 Calangos e Gordinhos

Quem também se prepara para movimentar a corrida são as equipes Calango Runners e Vai Gordinho. A primeira, de Barbacena, volta à prova, mantendo suas marcas registradas – a irreverência e simpatia dos atletas. Já a outra, de Juiz de Fora, desembarca na ARPA pela primeira vez, transformando a prova na estreia oficial dos “atletas acima do peso” fora de casa.

Fabíola (centro) com os calangos na ARPA (foto: Divulgação)

Fabíola (centro) com os calangos na ARPA (foto: Divulgação)

Representante da “calangada”, como é chamado o grupo da “Cidade das Rosas”, a professora Fabíola Elias Rodrigues revela que 25 atletas já estão confirmados no desafio. “Ano passado foram apenas cinco, mas achamos o evento bem organizado e com uma proposta bacana de divulgação do parque florestal. Como fomos muito bem recebidos, principalmente pelo André Gudes, e a experiência foi bem legal, os calangos se interessaram ‘de cara’ este ano”.

Ela, que também é uma das fundadoras da equipe, deixa o recado: “Ao contrário de Barbacena, Conselheiro Lafaiete é muito quente. Como gostamos de desafios e essa corrida tem muitos morros e estrada de terra, estaremos lá para animar a festa, pois, para nós, calangos, o importante é estar sempre de bem com a vida, com saúde e alegria”, se empolga.

vai-gordinho-logo
Já o porta-voz do grupo “Vai Gordinho”, Marcos Reis, explica que a equipe começou numa brincadeira com o amigo Carlos Fellippe Oliveira. Trabalhando juntos há algum tempo e acima do peso, os dois decidiram começar a caminhar pela UFJF, mas sempre ouviam o grito de “vai gordinho” quando eram vistos por algum conhecido. Foi assim que resolveram adotar o nome e reunir outras pessoas.

“No início, a gente era um grupo de caminhada, mas já corremos há sete meses. Participamos de quatro corridas em Juiz de Fora e decidimos procurar outras depois da Camilo dos Santos, pois precisamos treinar sempre, senão desanimamos. Encontramos a ARPA, que tem um percurso com distância parecida com a dos nossos treinos e vai ser nossa primeira prova em outra cidade”.

Por enquanto, quatro integrantes se inscreveram para a corrida e dois para a caminhada de domingo, mas nenhum deles pretende disputar os primeiros lugares do pódio. “Ainda não temos preparo nem peso para isso. Pensamos no bem estar e, principalmente, em melhorar nossa qualidade de vida com o esporte”, brinca e finaliza Marcos.

2 Comments
  1. Fevereiro 13, 2014 | Responder
  2. Fevereiro 13, 2014 | Responder

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *