DOS EUA PARA O MUNDO, E DE KART: Piloto brasileiro de 14 anos se orgulha das raízes juizforanas

Com vendas de porta em porta, Bruno Carneiro faz carreira e ajuda crianças carentes a ingressar no automobilismo em sua própria escola

Bruno Carneiro (Foto: AVID Creative)

Bruno Carneiro (Foto: AVID Creative)

Ele é brasileiro, filho de juizforano, nasceu e permaneceu em São Paulo (SP) durante cinco meses, morou na eterna Manchester Mineira por outros quatro e foi morar nos Estados Unidos com apenas um ano de idade. Atualmente com 14, o piloto de kart Bruno Carneiro (Legree Motorsports / Rodizio Grill) faz história no automobilismo internacional e é um incansável incentivador da modalidade, de onde se orgulha de tirar o próprio sustendo. Em entrevista especial ao Rumo Certo, o adolescente revela toda a sua trajetória, conta de onde vem tanta inspiração para se profissionalizar cada vez mais e confessa sentir muita saudade da família, principalmente a que vive em Juiz de Fora (MG) até hoje.

“Comecei no kart com quatro anos, porque sempre me interessei por corridas e assistia Fórmula 1 (F1) com meu pai (Luigi Carneiro), que é músico e trabalha com publicidade. Percebi que essa paixão poderia dar certo quando estava com uns dez anos, porque vinha bem nos campeonatos estaduais e nacionais, como a Gatorz, na Califórnia”, lembra diretamente de Salt Lake City, capital do estado norte-americano de Utah.

Maior inspiração

 

Campeão da Utah X2, Top 10 nos EUA em 2011, Top 10 na Itália em 2010 e Top 10 no Brasil também em 2010, o piloto conta que seu maior ídolo é e sempre foi Ayrton Senna. Mesmo assim, explica que a Fórmula 1 (F1) ainda é considerada um objetivo distante. “Quero correr na LeMans, Porsche Pirelli Cup, Europa de Sport GT. Infelizmente, a F1 é um sonho, mas não uma realidade, porque é preciso ter muito dinheiro para competir nos campeonatos que dão chance de chegar aos olhos das grandes equipes, dos patrocinadores e das categorias de acesso, como a F3 e GP2”.

O piloto, correndo na Florida Winter Tour, em janeiro (Foto: arquivo Bruno Carneiro)

O piloto, correndo na Florida Winter Tour, em janeiro (Foto: arquivo Bruno Carneiro)

De volta à terrinha

 

Entre os projetos para um futuro próximo estão outra competição brasileira e o reencontro com os parentes mineiros. “Quero correr o Brasileiro de Kart em 2015 e, sempre que vou ao país, fico umas duas semanas em Juiz de Fora. Amo essa cidade, é a minha segunda casa. Meu pai já me mostrou várias fotos do antigo Kartódromo, pena que não tem mais”, destaca.

Fazendo o máximo que pode

Enquanto essas oportunidades não chegam, Carneiro divide o tempo entre uma corrida e outra para gerar recursos com a venda dos produtos de seu patrocinador. Ele faz esse trabalho há cinco anos, sempre de porta em porta e com o objetivo de arcar com as próprias despesas nas competições. Além disso, ministra aulas a outros jovens pilotos, realiza palestras motivacionais e ainda oferece bolsas na Escolinha de Kart, que criou para incentivar crianças vítimas de abusos e com baixa renda à modalidade.

“Estou investindo muito nesse projeto. Só em equipamento, como o kart, motor, peças e material de promoção vão ser mais de 10 mil dólares. Mas, quando a gente quer, não tem nada que seja longe, difícil ou demais. Tudo fica possível. A gente não perde quando ganha, perde quando desiste”, encerra.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *