Equipe de ginástica do Stella Matutina quer novos pódios no Campeonato Mineiro

Com vários títulos estaduais, nacionais e até panamericanos conquistados, alunos seguem confiantes para as disputas em Contagem, entre 15 e 18 de maio

Atletas da equipe de ginástica do Colégio Stella Matutina com o treinador Wanderson Zambeli, à direita (Foto: Hugo Keyler / Rumo Certo)

Ginastas com o treinador Wanderson Zambeli (Foto: Hugo Keyler)

Formada atualmente por quatorze ginastas, com idades a partir de onze anos, a equipe do Colégio Stella Matutina, de Juiz de Fora, se prepara para começar mais um ano em busca de resultados importantes. Acumulando uma série de títulos estaduais e nacionais, conquistados sob o comando do treinador Wanderson Zambeli, os primeiros desafios que eles tem pela frente são nas modalidades tumbling, duplo-mini e cama elástica do Campeonato Estadual de Ginástica de Trampolim, entre os dias 15 e 18, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. A uma semana do evento, que é obrigatório para quem pretende disputar as principais competições do país, os atletas seguem firmes nos treinos e confiantes em novas vitórias nas categorias infantil, infanto-juvenil, juvenil e adulto.

Utilizando os ginásios do Colégio de Aplicação João XXIII e do Clube Atlético Olímpico como espaços para levar o trabalho adiante, Zambeli revela como estão os preparativos o Campeonato. “Os treinos estão na medida do possível, pois não estamos com uma aparelhagem boa. A gente treinava numa pista, mas ainda não tivemos acesso a ela e estamos usando um aparelho do João XXIII para fazer chão, sendo que, no campeonato, eles tem uma pista de mola, que joga os ginastas e tudo. Mas sei que no final dá certo, porque já faço isso há 23 anos”. Os principais objetivos do treinador para esta temporada são “fazer os campeões mineiros, os campeões brasileiros por idades e os campeões na júnior e na elite”.

Yago Vasconcelos no tumbling (Foto: Hugo Keyler)

Yago Vasconcelos no tumbling (Foto: Hugo Keyler)

Garotos em ação

Com 13 anos, um vice-campeonato mineiro e um 3º lugar brasileiro de tumbling pela categoria infanto-juvenil, Yago Vasconcelos encontra na concentração o motivo para driblar qualquer dificuldade. “Antes a gente treinava no tumbling e fazer as séries era mais fácil. Os treinos estão diferentes, mas estamos muito animados e pretendemos trazer títulos”, antecipa.

Esse também é o sentimento de Rodrigo Rezende, 11, que é campeão brasileiro de tumbling pré-infantil (para ginastas de 9 e 10 anos) e está prestes a disputar a infantil pela primeira vez. “Sou o segundo mais novo entre os meninos daqui e, no duplo-mini, estou treinando muito o salto duplo de costas. Está um pouco difícil, mas minha expectativa é boa. Quero ser campeão de novo”.

Dedicação é o que não falta

Para Flanciane Silva, 17, vice-campeã brasileira de tumbling e duplo mini-trampolim pela categoria adulto, manter a dedicação é o principal caminho na hora de alcançar os objetivos. “Tenho me esforçado bastante, treinado direitinho e acho que vou ter um bom resultado. Não dá para fazer a série perfeita aqui, mas vai dar para treinar um pouco lá na hora. Estou bem confiante nisso, agora quero tentar o primeiro lugar”, destaca.

Campeã mineira e vice-campeã brasileira infanto juvenil no tumbling, Alice Spinelli, 14, conta que também se mantém confiante, apesar de estar sentindo dores musculares nos últimos dias.  ”Elas impedem um pouco, mas não vão ser empecilho, porque nosso foco é mais alto. Do jeitinho que a gente vai, dá para conseguir alguma coisa lá. É só organizar a alimentação e tudo vai dar certo”.

Jorgina Bolpato e a filha, Gabriela (Foto: Hugo Keyler)

Jorgina Bolpato e a filha, Gabriela (Foto: Hugo Keyler)

A ginasta Lohayne Clavelari, de 12 anos, considerada um “chaveirinho” da equipe, foca nos títulos de campeã mineira e vice-campeã brasileira infantil de tumbling para dar seu veredito: “Estou com o braço machucado, mas vou competir mesmo assim. Quero ser campeã de novo ou ficar pelo menos em segundo”.

Amor sem limites

Natural de Coronel Pacheco e mãe da vice-campeã pan-americana infanto-juvenil de tumbling, Gabriela Bolpato, Jorgina Bolpato enfrenta 30km de estrada todos os dias, há dois anos, só para acompanhar a filha nos treinos em Juiz de Fora. “Ela adora ginástica, essa é a vida, o sonho dela. Então a gente tem que incentivar, porque senão ninguém apóia. Confesso que essas viagens cansam muito, mas ver aquele brilhinho no olhar quando ela consegue fazer uma série ou ganha uma medalha vale muito a pena”.

Mantendo aquele velho ditado de que no “coração de mãe sempre cabe mais um”, Jorgina torce igualmente para todos os ginastas. “Meu coração fica aos saltos, ainda mais em inicio de campeonato. Eles treinam tanto e, às vezes, num erro mínimo, perdem tudo. Dói para caramba. Mas, quando elas acertam, ver aquela satisfação é bom demais, vale todo o sacrifício do mundo”, finaliza.

Mais de uma centena

Segundo o professor Newton Vianna, responsável pela Comissão Técnica e Científica da Federação Mineira de Ginástica, além da modalidade tumbling, o Campeonato Estadual conta com disputas no trampolim individual, trampolim sincronizado e duplo mini-trampolim. Ao  todo, 132 ginastas, sendo 67 femininos e 65 masculinos, estão inscritos na competição, representando tanto o Colégio Stella Matutina quanto a Fundação Aleijadinho (Ouro Preto), Minas Tênis Clube (Belo Horizonte), Prefeitura Municipal de Contagem, Prefeitura Municipal de Itabira e Prefeitura Municipal de Uberaba.

 

 

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *