Equipes alteram treinos em prevenção ao coronavírus. Médico recomenda atividade física em casa

*Reportagem: Priscila Oliveira

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a situação do novo coronavírus como pandemia, no último dia 11, uma série de medidas preventivas tem sido tomadas em todo o planeta para evitar a disseminação da doença. De acordo com os órgãos oficiais de saúde e até o fechamento desta matéria, 413 casos estão confirmados no Brasil, sendo 19 em Minas Gerais, dois em Juiz de Fora e três mortes registradas em São Paulo (SP).

Imagem do coronavírus pelo microscópio (Reprodução/Sociedade Mineira de Terapia Intensiva)

Polo comercial da Zona da Mata, Juiz de Fora já sente os reflexos da Covid-19, inclusive na prática da atividade física, uma vez que diversos pontos de encontro para treino, como o campus da UFJF, o Museu Mariano Procópio, a Praça CEU e o Parque da Lajinha estão com as atividades suspensas por tempo indeterminado. Na esteira dessa onda de prevenção, educadores físicos locais têm se mobilizado na tentativa de conter o avanço do vírus entre os adeptos das corridas.

A favor da vida

Treinador que dá nome à sua equipe, Gilberto Roque suspendeu as aulas, sempre em frente à Faculdade de Direito da UFJF, nesta quarta-feira. “Segunda e terça eu deixei álcool gel disponível, tomei todas as precauções, mas sabemos que o que está preconizado é evitarmos ao máximo sair de casa. Somos um grupo grande, onde no mínimo 15 a 20 integrantes se aglomeram para fazer o aquecimento. Por mais que a gente mantenha certa distância, as pessoas estão saindo de casa, pegando carro, e queremos evitar essas situações”, destaca.

Ele acredita que, mais do que nunca, o uso da tecnologia será um grande aliado para que as atividades continuem. “Todos os meus alunos têm planilha. Por isso, estou orientando que cada um faça o seu treino de maneira individualizada, no horário e local de preferência, principalmente ao ar livre, e que me deem um feedback, como muitos já fazem – porque tenho alunos que moram em Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro, para quem já passo treino on-line. Isso funciona muito bem”.

Gilberto Roque suspendeu os encontros de sua equipe e vai acompanhar treinos pela internet (Foto: arquivo pessoal)

Gilberto também chama atenção para a necessidade de senso coletivo. “É um momento de termos muita reflexão e pensarmos no próximo. Até agora, ainda podemos sair para treinar na rua, mas acredito que, daqui a pouco, se as coisas não melhorarem, vamos ter que dar uma segurada mesmo, evitar ao máximo”, pondera.

Desafio e mudanças

Ainda nessa quarta, a treinadora Denise Machado comunicou ao seu “Time” que os encontros estão temporariamente cancelados. “Até ontem eu estava fazendo as aulas ao ar livre, mas, seguindo as recomendações dos órgãos competentes, vou suspender provisoriamente as aulas outdoor. Não há necessidade de tirar ninguém de casa ou expor as pessoas para fazer uma hora de atividade”.

Com aulas semanais em centros de treinamento nos bairros Bom Pastor e Benfica, a ideia é manter seus 45 alunos em movimento. “Eu tinha pensado num plano B, mas já vou partir para um plano C. Vou trabalhar com vídeos e propor umas coisas à turma. Pensei em lançar um desafio para motivar o pessoal a treinar em casa”, revela.

Para ela, cautela é a palavra de ordem. “O momento é delicado, e eu sei que ninguém gosta de ficar sem treinar. Muita gente não está próxima a pessoas que estão no grupo de risco. Nesse caso, dá para fazer o treino tranquilo, chegar em casa, tomar banho, trocar aquela roupa de rua, fazer sua higienização e vida que segue. Já para quem tem, não dá para ficar se expondo e a quem está perto de você”. E acrescenta. “Podendo não sair ou diminuir a quantidade de treino, é bom, para evitar um surto maior da doença, conseguirmos controlar essa situação e todo mundo sair dela da melhor forma possível. Enquanto estamos nesse momento delicado, o negócio é usar o bom senso, procurar informação correta e fazer cada um a sua parte, torcendo sempre pelo melhor”.

Team Denise Machado e WF Assessoria Esportiva, juntos na foto, também vão manter contato com os alunos pelas redes sociais (Foto: arquivo pessoal)

Já a WF Assessoria Esportiva, coordenada pelos irmãos Wenderson e Francieli Costa, também definiu a alteração hoje. “Nos encontramos nas praças do Bom Pastor e do Vila Ideal. Temos em média 15 alunos, mas a maior parte treina sozinho. Como são poucas pessoas por horário, ainda não tínhamos sentido a necessidade de parar os treinos, mas, desde ontem, já estávamos pensando no que poderia ser feito”, afirma a treinadora.

A partir de agora, os contatos serão mantidos pelas redes sociais. “Estamos enviando as planilhas para que os alunos façam os treinos no horário em que conseguirem e, preferencialmente, que não tenha muita gente. Estamos cancelando os treinos em conjunto e os treinões de final de semana para ver o que vai ser resolvido. Quando tivermos mais orientações, vamos passar para eles”.

Orientação médica

Segundo o diretor do Laboratório Côrtes Villela, Victor Bastos, as pessoas precisam estar alertas e ser prudentes. “O momento atual é de isolamento social. O ideal é fazer atividades físicas em locais sem aglomeração, principalmente na própria residência. Já para prevenção, a melhor prática é a lavagem das mãos com água e sabão. No entanto, não temos disponibilidade de água em todos os locais, como hospitais e nas ruas, então, o álcool gel é o melhor substituto, por ser mais prático”.

O médico enfatiza a orientação. “A recomendação é lavar as mãos sempre, porque o vírus permanece no ar por até três horas e, em superfície, pode se manter por até 48 horas. No caso das máscaras, o problema é levar a mão ao rosto toda hora, porque ela pode acabar ficando infectada e provocar o contágio. A melhor maneira mesmo é lavar as mãos e evitar o contato social”, finaliza.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *