Experientes nos 42km, juiz-foranos encaram Maratona de Floripa

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: arquivo pessoal

Correr 42km não é para qualquer um – exige empenho, dedicação e muita disciplina, principalmente para conciliar a rotina do dia a dia com tudo o que envolve os treinamentos necessários para encarar um desafio tão grande. Em Juiz de Fora, assim como no mundo inteiro, esse tipo de disputa é a preferida de muita gente. Pensando em viver novamente essa experiência única, um grupo de amigos-atletas da cidade faz contagem regressiva para encarar uma prova inédita na modalidade: a primeira edição da Maratona Internacional de Floripa, este domingo, 27, em Santa Catarina.

150377393162204

Jorge Emídio de Oliveira e Sidnei Barbosa acumulam um número incontável de maratonas (Fotos: Hugo Keyler/Rumo Certo e arquivo pessoal)

Incansáveis

Com 67 anos e um número incontável de maratonas no currículo, Jorge Emídio de Oliveira (Pantera Cor de Rosa/Estácio de Sá), mais conhecido como ‘Foca’, quer manter o bom desempenho das provas anteriores. “Corri no Ranking de JF e fiz muitos treinos longos. Fiz a Maratona do Rio (RJ), em junho, e ainda quero voltar à Maratona de Curitiba (PR), em novembro. Acho muito válido viajar com meus conterrâneos, e todos são experientes em maratonas. Um aprende com o outro – é uma troca constante de experiências”, comenta.

Com uma vasta bagagem de provas, Sidnei Barbosa (Ascorjf), 47, não se cansa de ultrapassar fronteiras, literalmente. Participa não só de corridas tradicionais no circuito nacional quanto marca presença em alguns dos mais badalados trajetos do exterior. O objetivo principal: melhorar a técnica de corrida e buscar o melhor tempo da temporada, que até agora foi na Maratona de Santiago (Chile), em abril.

Pronto para encarar os 42km pela sexta vez apenas este ano, ele acredita que experiência seja ‘tudo na vida’. “O intercâmbio entre atletas acostumados a correr longas distâncias nos aprimora e faz buscar melhores resultados a cada dia, dentro das nossas possibilidades e potencial. Este ano ainda vou correr as maratonas de Berlim (Alemanha), Chicago (EUA), Salvador (BA), Curitiba (PR) e, talvez, Nova Iorque (EUA) ou outra prova ainda não definida”.

1503775670639662

Paulo Sérgio Paula e João Rodrigues Bispo vão disputar os 42km pela quarta vez (Fotos: arquivos pessoais)

Rumo à quarta

Alegria em pessoa e com uma idade que prefere não revelar aos mais curiosos, Paulo Sérgio Paula (Ultramove) leva descontração por onde passa, e tem nas corridas de rua mais uma forma de vivenciar bons momentos. Rumo à sua quarta maratona, ele comemora o fato de não ter nenhuma lesão para conquistar uma meta que vem buscando desde a Maratona do Rio, em junho: completar com um tempo abaixo de 4h. “A umidade e temperatura altas me prejudicaram e não consegui cumprir esse objetivo. Acredito que essa experiência de agora será diferente – mais focada, que é justamente o que preciso no momento. Ainda pretendo fazer uma ultramaratona no final do ano”, antecipa.

Quem também pretende completar os 42km pela quarta vez e se aventurar num percurso ainda maior é João Rodrigues Bispo (Ascorjf), de 58 anos. Para isso, as estratégias já estão traçadas: “Terminar me preservando em Floripa, sofrendo o mínimo possível. Fiz algumas provas, mas estou com lesão no calcanhar, me tratando intensivamente nas últimas semanas. Caso não esteja em condições adequadas, não arriscarei me prejudicar com o agravamento do problema, o que poderá me tirar das corridas por um bom tempo”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *