Fabiana Duarte relata participação e pódio na Haka Expedition

abraço - Wagner Pnl

Foto: Wagner Pnl

Neste feriado, competi com a equipe Competition Aroeira (SP), ao lado dos atletas Ygor Dias, Emerson Furlanetto e Thiago Bonini, conquistando a terceira colocação na Haka Expedition.

A largada da prova aconteceu do Dia do Trabalhador, ao meio-dia em ponto, na bela cidade paulista de Botucatu. Estavam presentes as melhores equipes do país, nesta prova que é a principal do circuito paulista de Corridas de Aventura e é válida pelo ranking nacional e latino-americano.

Superando vários desafios

O calor estava forte e as equipes também largaram forte para uma corrida de 4km até chegarmos ao rio onde fizemos mais 4km de canyoning muito técnico sobre pedras escorregadias, pequenas corredeiras e uma bela cachoeira, onde fui atacada por abelhas, levando duas picadas bem dolorosas. Era só o início desta longa aventura, que foi considerada pelos atletas a edição mais dura do Haka – que exigiu muito do físico e psicológico das equipes, com pernadas muito longas, trechos exaustivos como uma longa corrida sobre trilhos de trem e navegação (orientação cartográfica) complexa.

A prova para nós teve duração de 30h40min, assim divididos: Trekking (4km), Canyoning (4km), Ascensão (20 metros), Trekking (10km), MTB (15km), Trekking (6km), MTB (83km), Canoagem (46km) e Trekking (44km).

canoagem - wladimir togumi

Foto: Wladimir Togumi

Fizemos uma prova em ritmo muito bom e, na metade da prova, após passarmos algumas equipes, conseguindo abrir uma boa vantagem, principalmente na pernada de Mountain Bike, onde passamos várias equipes e estabilizamos, disputando as primeiras colocações com mais três equipes; Quasarlontra, Xingu e Guanacos.

A canoagem foi muito exaustiva, na grande represa de Barra Bonita. Começamos a remar por volta de uma hora da manhã e terminamos perto das 9h. Para espantar o sono, a equipe remou cantando. Ainda tivemos que encarar uma densa vegetação na água antes de chegarmos à margem, o que foi bastante desgastante e sugou nossas reservas de energia.

Disputa pelo pódio

Porém, ao chegar ao AT (área de transição), nos encontramos com a equipe Xingu e soubemos que as primeiras equipes (Quasarlontra e Guanacos) haviam saído dali há menos de uma hora. Então fizemos uma transição rápida, nos alimentando e reabastecendo as mochilas para o trecho final da prova: um longo trekking de 44km. Resolvemos arriscar na navegação, varando um canavial e atravessando um rio e mais um rasga-mato que, em tese, nos renderia uma economia de 4km até a chegada do PC 14. Mas não valeu a pena, pois a vegetação era muito densa. Por isso, resolvemos abortar a missão e voltar à estrada de terra pesada e sol escaldante. Neste trecho, a equipe ficou bastante desanimada, pois perdemos cerca de uma hora e meia, e o sono e o cansaço voltaram fortes. Encontramos com a dupla Mato Adentro na estrada, sentada e querendo desistir, com um dos atletas com os pés bem machucados. Motivamos os colegas a continuarem, ajudamos nos primeiros socorros, com curativos nos pés, e seguimos, os seis, até o PC 14. Após batermos no PC pegamos outro rasga-mato – desta vez com sucesso e direito à travessia de rio; o que refrescou os radiadores e nos deu força para o trecho final (cerca de 17km).

pódio - wladimir togumi

Foto: Wladimir Togumi

Ao chegarmos em Botucatu estávamos com os pés machucados e o corpo muito dolorido, então, seguimos num ritmo mais leve, pois pensávamos já ter perdido o pódio, devido ao erro da navegação. Porém, no cruzamento a 3 quarteirões da chegada, nos deparamos com a Guanacos chegando tão exausta quanto nós. Foi bom e ruim, pois cruzamos os olhares e foi o suficiente para iniciarmos uma nova disputa, na raça, no tiro de mil metros até o pórtico. Não sei de onde tiramos força, mas conseguimos cruzar na frente da Guanacos, ficando, assim, em terceiro lugar na prova.

Inusitada e engraçada

Segundo Fábio Cerávolo, integrante da equipe Guanacos, esse final foi uma das situações mais inusitadas e engraçadas que ele já viveu nas corridas. Com certeza, também foi para nós. E, como costumamos dizer: O importante é Competition!

O resultado da prova ficou assim:

1º. Xingu

2º. Quasarlontra

3º. Competition Aroeira

Quero parabenizar a todas as equipes que participaram, completando ou não este desafio. Também agradeço principalmente à Equipe Competiiton Aroeira, meus companheiros de prova, aos amigos que torcem por mim e aos meus apoiadores, Pinabikes e Stúdio FG3.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *