FITNESS: A prática esportiva e o ciclo menstrual

No artigo anterior, pudemos observar que não há diferenças significativas quanto à estruturação do treinamento de força entre homens e mulheres. Porém, devemos levar em consideração a intensidade de carga imposta às mulheres em relação à sua massa corporal. Hoje vamos falar sobre os cuidados e ajustes que precisamos adotar na prescrição e aplicação dos treinos físicos durante as fases do ciclo menstrual.

treinamento x menstruação - rep opera corpis

O ciclo menstrual é um acontecimento fisiológico próprio da condição feminina. A grande dúvida é se o exercício pode alterar ou até mesmo extinguir o ciclo. Pesquisas recentes indicam que essas mudanças podem ser consideradas uma adaptação ao estímulo dado e que a condição normal pode ser restabelecida assim que as sobrecargas dos treinos são diminuídas.

O treinamento físico regular e intenso pode afetar o ciclo menstrual de várias formas:

1. Ocorrência tardia da menarca (1ª menstruação): Em praticantes de esportes em que a iniciação é precoce (ginástica olímpica, natação, balé etc.), a menarca pode atrasar. Contudo, não há evidências de que esse fato possa prejudicar a vida reprodutiva da mulher.

2. Encurtamento do ciclo: O ciclo menstrual pode ser dividido em quatro etapas distintas: menstruação, fase folicular, fase ovulatória e fase lútea. Cada uma delas possui seu tempo médio de ocorrência. Exercícios físicos muito intensos por longos períodos podem reduzir o cumprimento entre os períodos. A causa mais aparente desse efeito não está elucidada, mas pode estar relacionada à secreção de hormônios específicos.

3. Redução do ciclo menstrual: Algumas mulheres relatam dores e desconfortos durante a fase menstrual. Acredita-se que tais dores estejam relacionadas à queda de determinados hormônios em detrimento de outros, que, por sua vez, tem seus níveis aumentados quando ocorre a prática regular de exercícios físicos – diminuindo, assim, os mecanismos que causam dor. Mas ainda são necessárias mais pesquisas para a comprovação desse fenômeno.

4. Redução do estresse pré-menstrual: A TPM (Tensão Pré-Menstrual) é um conjunto de respostas fisiológicas, que incluem irritabilidade, depressão, sensibilidade nos seios, retenção hídrica, ansiedade, aumento ou falta de apetite. Todavia, especula-se que tais ocorrências aconteçam pelo aumento das taxas do hormônio testosterona e pela queda nas concentrações dos hormônios esteroides. Contudo, concentrações elevadas da testosterona podem interferir nas ações dos hormônios sexuais femininos e alterar o ciclo, diminuindo a TPM.

treinamento x menstruação - rep fitness girls

5. Falha em ovular: As alterações hormonais podem levar a não ocorrência da ovulação. Isoladamente, não há com o que se preocupar. Entretanto, eventos frequentes podem indicar supertreinamento.

6. Falha em menstruar: Exercícios intensos, aplicados regularmente e por longos períodos de tempo, podem ocasionar a oligomenorreia e amenorreia – período não frequente e ausência de menstruação por mais de seis meses consecutivos, respectivamente. Vale ressaltar que o exercício, por si só, não é o único contribuinte para esse fato; deve-se levar em consideração a alimentação e nível de estresse. O treinador deve ficar atento a tais acontecimentos, pois todos eles afetam diretamente no processo de deposição de cálcio nos ossos.

Assim como a prática regular de atividade física afeta o ciclo menstrual, ele mesmo afeta os treinos. Portanto, a prescrição e aplicabilidade das sessões de treinamento devem levar em consideração as fases do ciclo. Não há nada comprovado sobre qual é o melhor período para a prática (antes, depois ou durante a fase de menstruação. Porém, mudanças nas concentrações hormonais afetam as estruturas ósseas, musculares, tendíneas e articulares, deixando-as mais suscetíveis a lesões. Por isso, caberá ao preparador físico redobrar os cuidados com os treinos intensos nos dias que antecedem a menstruação e durante essa fase.

Fica a dica, então: Treinador, converse com sua atleta/aluna e ajuste cuidadosamente as exigências do treino com a condição dela de acordo com cada fase. Já você, aluna/atleta, não esconda nada do seu preparador físico para que alcance seus objetivos de forma saudável e sem riscos.

Desejo a todas as mulheres ótimos treinos e muita hipertrofia de saúde.

Forte abraço, e até a próxima!

Fonte: NEWSHOLME, ET ALL. – 2006
Prof. Esp. Fábio Mendes Gomes Caliaro
Graduado em Educação Física pela UFJF
Pós-Graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UGF
Personal Trainer e Sócio-Proprietário da Hyperion Assessoria Esportiva
Tel: (32) 9916-3682 / CREF 010907-G/MG
* Imagens: Reprodução web / Opera Corpis / Fitness Girls

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *