FITNESS: Musculação para mulheres – parte 1

musculação para mulheres - rep beleza com saúde

Olá, Caros Leitores! A participação das mulheres nos programas de atividade física e esportes vem aumentando exponencialmente ao longo das últimas décadas. Acredito que grande parte dessa adesão está relacionada ao avanço da ciência do treinamento e a divulgação dos benefícios pela mídia.

Muitos estudos comprovam que mulheres que participam regularmente de rotinas de exercícios físicos melhoram a saúde, diminuem os riscos de doença, se tornam mais aptas às atividades do cotidiano, aprimoram a forma física e estética, além de elevarem sua autoestima.

No que diz respeito às adaptações fisiológicas dos músculos, podemos afirmar que não há diferenças em suas características entre homens e mulheres. Essa comparação está relacionada à quantidade de massa muscular e massa de gordura. Proporcionalmente ao peso corporal, homens e mulheres tendem a ter os mesmos níveis de força. Portanto, não há porque os programas de treinos serem distintos para ambos os sexos.

Analisando membros superiores e inferiores, mulheres apresentam menor índice de força e potência nos braços em relação aos homens, enquanto essa diferença diminui quando comparamos os membros inferiores.

“Apesar da necessidade de mais estudos de longo tempo, é possível que as concentrações de testosterona em mulheres possam variar com o treinamento e que as mulheres com níveis relativamente altos de testosterona possam ter mais potencial para o aumento do tamanho do músculo e força muscular” (Hakkinen et al., 1990).

O treinamento de força para mulheres deve também preconizar o ganho de potência e resistência muscular, uma vez que a tipologia das fibras musculares é similar à dos homens e essas capacidades físicas devem ser desenvolvidas.

musculação para mulheres - rep mais equilibrio

O que podemos dizer enquanto diferença na programação do treino de força para as mulheres em relação aos homens seria no quesito de cargas dos exercícios. Ao prescrever a intensidade de cargas de trabalho, o profissional deverá levar em consideração os índices que apontam como causas de lesões articulares. Estudos sugerem altos índices de lesões em joelhos de atletas femininas. Essa incidência pode estar associada ao crescente número de mulheres nas atividades ou ainda por outros fatores, tais como:

- Fragilidade da articulação;

- Alinhamento do membro em relação ao quadril;

- Dimensões corporais;

- Tamanho das estruturas ligamentares;

- Movimentos corporais;

- Interação calçado-superfície;

- Nível de habilidade;

- Mudanças hormonais;

- Força muscular.

“A participação regular em um programa de condicionamento bem projetado pode reduzir o número de lesões relacionadas ao esporte” (Feck e Simão, 2008). Portanto, fica claro que o treinamento de força bem planejado só aumenta os benefícios para o público feminino em geral.

No próximo artigo, levaremos em consideração o treinamento de força e as diferenças e cuidados relacionados ao ciclo menstrual.

Desejo a todas as mulheres ótimos treinos e muita hipertrofia de saúde.

Forte abraço, e até a próxima!

Prof. Esp. Fábio Mendes Gomes Caliaro
Graduado em Educação Física pela UFJF
Pós-Graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UGF
Personal Trainer e Sócio-Proprietário da Hyperion Assessoria Esportiva
Tel: (32) 9916-3682 / CREF 010907-G/MG
* Imagens: Reprodução web / Beleza com Saúde / Mais Equilíbrio

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *