Focada no Sul-Americano Cross Country, Amanda Oliveira inicia nova temporada de competições

*Reportagem: Priscila Oliveira

Mercesana é bicampeã brasileira sub-23 nas provas de 10.000m e 5.000m (Foto: Hugo Keyler/arq. RCO)

“2018 foi a minha melhor temporada”. São com essas palavras que a mercesana Amanda Oliveira (Fac. Granbery/ Ed.Física /Real Mercês/Sicoob/NutriMais), de 21 anos, define a própria atuação esportiva no ano que passou. Atleta que tem deixado sua marca dentro e fora das pistas, ela se espelha nos feitos já conquistados para buscar resultados ainda mais expressivos nesta nova temporada. “Ano passado foi muito produtivo para mim, desde o início, quando alcancei a 3ª colocação na Copa Brasil de Cross Country. Depois eu consegui ser bicampeã brasileira sub-23 nos 10.000m e nos 5.000m, e o índice para participar da maior competição do ano: o Troféu Brasil, onde fiz minha melhor marca nos 10km. Outra conquista muito expressiva foi a meia maratona em Belo Horizonte, onde consegui ficar em 3º lugar e fazer minha melhor marca nos 21km”, pontua orgulhosa.

Neste mês de janeiro, a corredora tem trocado os dias de “descanso” para vivenciar uma experiência para lá de gratificante. “Fui convidada pelo técnico do Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo (SP), para participar de um camping. Ele me conheceu através das competições de pista, gostou muito da minha corrida e aproveitei as férias para vir. Estou amando a experiência e o treinamento – são bastante puxados, mas me adaptei bem”.

Neste domingo, ela disputa a Copa Brasil, de olho na vaga para o Equador (Foto: Hugo Keyler/arq. RCO)

Sul-Americano

Pronta para retornar ao solo mineiro nos próximos dias e certa de que “é preciso força, garra e superação para vencer todos os desafios”, a representante de Mercês faz contagem regressiva para dar o pontapé inicial nas novas disputas. Já neste domingo, 27, volta à Copa Brasil de Cross Country, também na capital paulista e representando a equipe CRIA UFJF. “Estou muito mais preparada. Vou dar meu máximo para conseguir a vaga para o Sul-Americano. Sempre temos adversárias e, na corrida de cross, tudo pode acontecer, pois é uma prova dura, mas estou confiante. O psicológico está tranquilo – só fico ansiosa. Minha estratégia é tentar manter a calma e focar na prova”, revela Amanda.

Tribuna de Santos, meias maratonas de São Paulo, Belo Horizonte e Salvador, além de outras provas de pista, estão entre os principais planos da atleta até dezembro. Nas oportunidades que tiver, ela ainda pretende participar dos rankings de Juiz de Fora e G10 da Zona da Mata.

 

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *