GOLDEN FOUR: Meia maratona leva juizforanos ao Rio neste final de semana

Prova de 21K é considerada uma das melhores do Brasil por incentivar que os participantes melhorem seus tempos e, consequentemente, seus desempenhos nas corridas

Cidade Maravilhosa é um dos atrativos da prova (Foto: Divulgação Asics 2013)

Cidade Maravilhosa é um dos atrativos da prova (Foto: Divulgação Asics 2013)

Ainda faltam alguns dias para a Golden Four Rio, mas a movimentação dos atletas juizforanos para a meia maratona é intensa. Pelas redes sociais, eles demonstram ansiedade e contentamento por participar de uma prova que consideram (ou ouviram dizer) ser uma das melhores do Brasil – pela organização, pela recepção e incentivo aos corredores, e por aí vai. A largada dos exatos 21,097km de percurso pela Cidade Maravilhosa acontece neste domingo, 06, a partir de 6h45, na Avenida Lúcio Costa, no Recreio dos Bandeirantes, seguindo pelo Viaduto das Bandeiras até a estrada Lagoa-Barra, passando pela Avenida Prefeito Mendes de Moraes e com chegada em frente ao Golf Club de São Conrado. Ao todo, mais de 4 mil atletas estão inscritos na prova.

Clique AQUI para saber mais sobre o circuito Golden Four Asics 2014.

Gláucio Monte-Mór e Tatiana Fonseca na edição de 2012 (Foto: arquivo Tatiana Fonseca)

Gláucio Monte-Mór e Tatiana Fonseca na edição de 2012 (Foto: arquivo Tatiana Fonseca)

Unidos nos 21K

A primeira experiência da educadora física Tatiana Fonseca numa meia maratona foi em 2012. Acompanhada do namorado Gláucio Monte-Mór, que também responde como seu treinador e acumula meias maratonas e maratonas no currículo, ela completou o percurso em 2h15. “Estreamos na Golden Four Rio juntos. Ele me incentivou a começar a correr e, sempre que pode, me acompanha nos treinos. No dia da prova, ele corre e, quando chega, volta para me buscar e me acompanhar até a chegada. Isso dá uma moral para eu aguentar os quilômetros finais”, revela.

A professora conta que não treinou tanto quanto deveria para a meia maratona do ano passado e, por isso, preferiu não se “arriscar”. Mesmo assim, lembra com tanto carinho da 21K que faz questão de voltar ao circuito. “É uma corrida muito bem organizada. A entrega dos kits é um evento, pois tem palestras, massagens, exposição de produtos e muito mais. Existem baias que dividem as pessoas pelo tempo em que elas pretendem completar a prova – os mais rápidos largam na frente, os mais lentos atrás e não acontece aquele atropelamento, que é muito comum na largada. Também existem relógios de ritmo, mostrando o tempo de prova naquele momento e o pace para aquele quilômetro, e muita água e isotônico durante todo o percurso. Amei tudo”, se empolga.

Nessa “reestreia”, a intenção de Tatiana é aproveitar. “Minha expectativa é apenas de curtir o visual e aproveitar a prova. Fiquei fora do país no início do ano e meu volume de treino não foi ideal para buscar um tempo melhor. Já o Glaúcio ficou entre os Top 100 no ano passado (outro incentivo que a Golden dá). Em 2012 fomos só nós dois, mas convenci muita gente a participar e devemos ter mais de 30 pessoas da equipe Vidativa indo este ano”.

Fábio Acauhi (branco, na frente) e colegas na corrida do ano passado (Foto: arquivo Fábio Acauhi)

Fábio Acauhi (branco, na frente) e colegas na corrida do ano passado (Foto: arquivo Fábio Acauhi)

A melhor de todas

Quem também está de volta ao circuito da capital fluminense é o atleta Fábio Achaui (Nectonus), um corredor completamente apaixonado pela prova. “Espero essa corrida acontecer desde quando cruzei a linha de chegada no ano passado. Tudo é maravilhoso, simplesmente espetacular, desde a divulgação e comunicação visual, até a conclusão. É maravilhosa a preparação, a ansiedade, a entrega dos kits, estar com os amigos, acordar cedo, alinhar e largar”, pontua.

Acompanhado da mesma turma de amigos do ano passado, e que ganhou novos adeptos este ano, ele conta que a caravana de Juiz de Fora já está preparada para agitar as ruas do Rio de Janeiro novamente. Inclusive, já planeja as próximas edições. “É uma prova muito estratégica, entretanto, nos dá um alvo no sentido de resultados e objetivos. Em 2013, fiz em 01h42 (cravado), mas quero subir para 01h35 dessa vez. Vou tentar a Elite B Nacional em 2015 e preciso do tempo de 01h28. Se Deus permitir, tentarei o Top 100 em 2016, com premiação especial. Isso é maravilhoso para o atleta”.

Sidnei Costa (Foto: Divulgação Asics 2012)

Sidnei Costa (Foto: Divulgação Asics 2012)

Momentos guardados na memória

Ainda sobre os corredores que estrearam na Golden Four 2013, o treinador funcional Sidinei Costa (Vidativa) destaca que a prova tem um significado muito especial. “Foi uma mistura de emoções que nunca havia sentido, vi o filme da minha vida inteira durante a corrida. Passei por muitas lutas (tinha uma lesão grave no joelho, a morte da minha mãe) e todas essas lembranças voltaram com muita força. Foi o momento em que me vi mais sozinho, apesar de ter milhares de pessoas participando”.

Com ele, o caminho nas corridas foi inverso. “Já treinava, mas nunca tinha entrado numa prova, não fiz aquele caminho natural de progredir nas distâncias aos poucos. O Gláucio (namorado da Tatiana) me convenceu e decidi encarar o desafio. Agora, quero curtir tudo aquilo de novo e com o objetivo de melhorar minha marca (01h48)”.

Paulo Sérgio Paula (Foto: arquivo Paulo Sérgio Paula)

Paulo Sérgio Paula (Foto: arquivo Paulo Sérgio Paula)

Estreia, até de campeão

Na turma dos estreantes, o corredor Paulo Sérgio Paula (Bio Forma) é só alegria. “Estou muito feliz, não imaginava que correr era tão bom. Sem contar a qualidade de vida, que muda completamente, e os amigos que fazemos. Minha primeira meia maratona foi no mês passado, em Paraty (RJ). Fiz em 2h18, quero muito melhorar minha marca, além de adquirir experiência para fazer uma maratona na próxima. Dizem que a corrida é muito especial, até fretamos um ônibus”.

Já para o atleta Eberth Silva (Vidativa), que venceu a 3ª Corrida da Saúde Suprema no último domingo, 30, o objetivo da estreia na prova é outro.

Eberth Silva (Foto: Hugo Keyler)

Eberth Silva (Foto: Hugo Keyler)

“Vai ser minha primeira prova de meia maratona e estou muito focado em buscar um bom resultado. Fiz essa prova de 10km na abertura do Ranking como um teste. Venho variando de 130 a 160km na semana e isso ajuda a ver onde tenho que acertar e fazer a tática que vou usar na corrida, que é me conservar um pouco na metade e fazer um final mais forte, se possível”.

Até o final do ano

O circuito Golden Four é realizado desde 2011, tradicionalmente em quatro capitais brasileiras. Este ano, os primeiros 21K foram realizados em Porto Alegre (RS), no dia 23 de março. Depois do Rio de Janeiro (RJ), a cidade de São Paulo (SP) é a próxima a receber a meia maratona da Asics, marcada para 03 de agosto. O calendário de provas termina em Brasilia (DF) no dia 09 de novembro.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *