Handebol feminino de Matias pode fechar temporada com 100% de aproveitamento nas competições

* Reportagem: Priscila Oliveira ; Foto de capa: Marcus Cicarini

15206208393_ab31dc4d77_b

Equipe de Matias Barbosa em ação nos Jogos Escolares da Juventude (Foto: Divulgação / Marcus Cicarini)

Destaque. Esse é o termo que melhor define a atuação do handebol feminino de Matias Barbosa ao longo da temporada 2014. Bicampeã Mineira pela categoria Cadete, tricampeã nos Jogos Escolares de Minas Gerais (JEMG), vice-campeã do Brasileiro Escolar, quarta colocada no Brasileiro Juvenil e medalha de bronze nos Jogos Escolares da Juventude, a equipe pode alcançar mais um título: o de tricampeã Mineira Juvenil. A decisão acontece neste final de semana, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, contra o vencedor da partida entre Sesi Pará de Minas e São Sebastião do Paraíso.

Experiência técnica

Comandado pelo treinador Fernando Maciel, o time encontra nas jovens jogadoras Andresa Silva, Isadora Pacheco, Jamily Martins, Jaqueline Mendes, Jeniffer Esmério, Jorgianne Oliveira, Joyce Ferreira, Júlia Wenceslau, Larissa Honorato, Larissa Nascimento, Lydia Ribeiro, Maria Isabel Ribeiro, Nathalia Rodrigues, Paola Pereira, Samara Albertina e Tamires Anielle a possibilidade de fechar o ano com o máximo de aproveitamento. “Minha avaliação da temporada é excelente. Até o momento, atingimos todos os objetivos traçados. Conquistamos várias marcas importantes em Minas e, no âmbito nacional, conseguimos ficar em os quatro melhores nas competições que disputamos. Agora, se vencermos o Campeonato Mineiro Juvenil, alcançaremos 100% do que estabelecemos para este ano”, revela Maciel.

handebol matias fernando maciel - pessoal

Fernando Maciel, técnico de Matias e da Seleção Mineira (Foto: arquivo pessoal)

Igualmente responsável pela Seleção Mineira e eleito o melhor técnico de handebol feminino módulo 2 (15 a 17 anos) do JEMG, ele encara com segurança os desafios encontrados a cada jornada. “A responsabilidade de trabalhar com adolescentes é sempre muito grande, pois participamos diretamente da formação das meninas. O fato de ser o atual técnico da Seleção Mineira aumenta essa responsabilidade no que diz respeito à qualidade do trabalho, porque sou muito mais visado hoje do que antes. Se o trabalho não estiver bem feito, os questionamentos virão e, com os títulos seguidos, muitos caem na sensação de que, se um título não vier, o trabalho foi mal feito. No entanto, nem sempre é possível vencer”.

Surpresa boa, direto do aeroporto

Natural de Miraí, moradora de Juiz de Fora aos finais de semana e integrante do time matiense há três anos, a central Isadora Pacheco, de 17 anos, está pronta para receber a premiação oficial de melhor atleta de handebol feminino, também de 15 a 17 anos, dos Jogos Escolares de Minas Gerais. “Simplesmente, não tenho palavras para descrever. Fomos tricampeãs consecutivas do JEMG, batalhamos muito para atingir essa conquista. Nos Jogos Escolares da Juventude, ficar em terceiro da primeira divisão é indescritível também. Fechamos um ciclo escolar vitorioso demais, e eu fiz parte disso tudo. Esse bronze para nós valeu mais do que ouro. Foi para fechar o escolar com ‘chave de bronze’, algo realmente fantástico”, avalia.

handebol matias isadora com prêmios - arq leandro matos

Central Isadora Pacheco: melhor atleta do módulo 2 do JEMG (Foto: arquivo pessoal)

Pega de surpresa sobre a marca pessoal na competição estadual, a jogadora lembra com carinho de cada instante vivido com as companheiras de equipe. “Eu estava indo para os Jogos da Juventude quando vi que o Fernando me marcou numa publicação. Não entendi nada, e fiquei uns dez minutos lendo e pensando o que seria aquilo. Mostrei uma das meninas e elas quase anunciaram para o aeroporto inteiro saber. Foi aí que eu entendi. Na verdade, nem sabia que existia essa premiação, mas sou muito grata a todo mundo, muito mesmo, especialmente ao meu treinador, que me ensinou praticamente tudo o que sei”.

Para ela, a união é um dos diferenciais do handebol feminino de Matias. “Nosso time é sem explicação. A cada ano, sai gente, entra gente, e estamos sempre unidas, tanto dentro quanto fora de quadra. Às vezes, por mais que tenha discussão, acabamos nos entendemos. Nos completamos”, salienta.

De olho no futuro

Enquanto a cerimônia de premiação dos melhores do ano no JEMG está marcada para o dia 11 de dezembro, no Salão VIP do Mineirão, em Belo Horizonte, o técnico Fernando Maciel já vislumbra as metas do handebol feminino de Matias Barbosa para o futuro. “Os planos para a equipe é manter a hegemonia conquistada no estado nos últimos três anos, onde vencemos sete das oito competições que disputamos desde 2012, quando iniciamos esse projeto na cidade. Também planejamos manter o nível nacionalmente, estando sempre entre os quatro primeiros nas competições e brigando por medalhas”, finaliza.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *