Iniciantes no triathlon, juiz-foranos realizam sonho de disputar prova do Ironman

* Priscila Oliveira; Fotos de capa: Hugo Keyler/Rumo Certo

Considerado o maior evento de triathlon da América Latina, o circuito Ironman Brasil chega ao fim da temporada com a sempre esperada e bastante competitiva etapa 70.3 Fortaleza, que vai reunir mil atletas do Brasil e de outras nacionalidades na capital ceanrense, neste domingo, 26. Presença garantida na competição, os juiz-foranos também estão entre os inscritos, com destaque para dois atletas que realizam o sonho de participar de uma disputa como essa, formada por 1,9km de natação, 90km de ciclismo e 21,1km de corrida.

Pai triatleta

michel alves

Educador físico e empresário, Michel Alves sempre foi apaixonado por esportes e se inspira no filho para seguir no triathlon (Foto: Hugo Keyler)

Professor de Educação Física e proprietário da academia Espaço Saúde (patrocinadora do Rumo Certo desde o início, em 2014), o ex-fisiculturista Michel Alves, de 31 anos, começou a trilhar os caminhos do esporte ainda na adolescência, com a prática de mountain bike. Maratonista, passou a treinar natação e decidiu se dedicar para fazer a prova de triathlon do XTerra local, por conta própria. “Adorei aquela adrenalina, mas nunca estive focado em resultados e, sim, no amor à Educação Física, ao esporte e à endorfina. Isso até dar um passo a mais e fazer o ‘meio Iron’ do Rio de Janeiro, no ano passado. Completei a prova com muito sofrimento e, de lá para cá, a vontade e o amor ao triathlon só vem crescendo”, conta empolgado.

Pai do pequeno Bento, o atleta vê na modalidade a chance de ser ‘um grande exemplo’ para o filho. Para isso, decidiu profissionalizar os treinamentos com auxílio do triatleta e treinador Hugo Amaral (VidAtiva), intensificou a preparação na Espaço Saúde e agora se prepara para realizar um sonho que considerava praticamente impossível tempos atrás. “Enfim está chegando o grande dia… Os treinos foram feitos da melhor forma possível, sempre contando com o apoio da minha esposa, Klenya. Quero melhorar tempo, mas faço isso por amor ao esporte e não apenas pela competição. Um dia ainda quero fazer um Ironman ‘completo’. Vejo isso como outro sonho que pode se tornar realidade”.

Michel ainda aproveita a oportunidade para compartilhar alegria com quem fez parte dessa trajetória. “Vários amigos fizeram esse sonho acontecer também. Agradeço ao Paulo, da Shape Suplementos; ao professor Vandinho, do Sesi; aos parceiros de corrida, Pedro Sales, Tiago Romão, Roger Bersan, Jonathan Alves, Aroldo Goretti, Alan Goretti e Pedro Santana; e ao casal Priscila e Hugo, do Rumo Certo”, pontua.

Estreia em dose dupla

Quem também vê no esporte uma verdadeira realização é a administradora Marina Fraguas, de 40 anos. Para ela, o sonho de fazer uma prova de Ironman vem desde a adolescência – algo que considerava ‘muito distante, mas sempre ativo’. “Aos 17 anos vendi meu piano para comprar minha primeira mountain bike, abandonei as aulas de balé e me apaixonei pela bike e pela adrenalina. Daí, descobri que amava o esporte e que ele tinha que, obrigatoriamente, fazer parte da minha vida. E o Iron sempre em mente… Pedalei muitos anos e pensava assim: ‘depois começo a correr e a nadar’”, lembra com carinho.

marina fráguas

Para Marina Fráguas, desejo de disputar Ironman vem da adolescência. Após a maternidade, ela conseguiu encaixar os treinos e agora se prepara para estrear no triatlhon (Foto: Hugo Keyler)

A natação veio a se tornar realidade na gestação. “Durante a gravidez eu não podia mais fazer trilha, então, comecei a nadar. Depois que nasceu minha filhinha, Lorena, o tempo era muito curto e resolvi começar a correr, porque era mais rápido. Agora consegui juntar os 3 – só troquei a mountain bike pela bike de speed“.

Além de estrear no circuito Ironman, essa também vai ser a primeira vez de Marina numa disputa de triathlon. “Como sabia que talvez não tivesse a oportunidade de fazer nenhuma outra prova de triathlon nesse meio tempo, resolvi me inscrever no meio do ano. Procurei focar bem nos treinos, monitorados pelo Marcos Hallack (SaúdePerformance) e com a bagagem que o Thiago Rosinha (Rosa Team) já havia me dado nas corridas. Faltava só encaixar a natação, e assim foi feito”, comemora. E as metas dela já estão traçadas. “Agora me sinto preparada para encarar o desafio e ainda tenho o objetivo maior, que é fazer o Iron completo, talvez em 2019″.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *