Juan Pablo Oliveira disputa ultramaratona 24 horas no Rio

*Reportagem: Priscila Oliveira

Em abril, se tornou o mais jovem ultramaratonista a vencer uma prova acima de 250km – mais especificamente num percurso de 300km entre o Campo das Vertentes e o Sul de Minas. Em julho, foi campeão por faixa etária num desafio de 50km pela região Serrana do Rio. E agora Juan Pablo Oliveira (Luiz Bastos Performance Esportiva/Hy Brazil) vai em busca de outro título importante: o de campeão do Rio Ultra Internacional 24h, que acontece neste final de semana, na Cidade Maravilhosa. A largada acontece amanhã, às 9h.

Após vencer desafio de 300km em abril, atleta de Santos Dumont quer completar pelo menos 205km e alcançar índice para o mundial da modalidade (Foto: arquivo pessoal)

Como o próprio nome do evento sugere, o representante de Santos Dumont tem um dia inteiro de competição pela frente, tendo como palco uma pista de 400 metros, na Vila Olímpica do Mato Alto. “Essa é uma prova contrarrelógio, onde temos 24 horas para correr o máximo que conseguirmos. Por ser um circuito fechado, ela se torna bem mais desgastante. Não vou esconder que quero ultrapassar os 200km, mas, independente da distância final, quero chegar lá, realizar uma boa prova e tentar me divertir bastante”, antecipa.

Sonho mundial

Aos 25 anos e apesar de confiante, o atleta não descarta as dificuldades que podem surgir ao longo do caminho. “Estou bem preparado, mas, às vezes, as coisas não saem do modo que planejamos. Porém, tenho fé em Deus e em Nossa Senhora Aparecida de que vou concluir a prova e retornar para casa com um bom resultado. Tenho o sonho de representar nosso país em um mundial de ultramaratona e vou lutar para conseguir o índice, que é de 205km, no mínimo. Pretendo ir bem tranquilo e deixar acontecer”.

Apesar de acostumado a provas cross country e circuitos de 12h por pistas mais longas, o ultramaratonista confia em bom resultado (Foto: arquivo pessoal)

Juan faz questão de destacar que a pista da disputa é oficial e vistoriada pela IAU (Associação Internacional de Ultramaratonistas) e IAAF (Associação Internacional de Federações de Atletismo), o que torna a jornada rumo ao mundial de ultras ainda mais próximo. “Posso dizer que, a princípio, esse índice de 205km me credencia, mas só as nove melhores marcas entram no time, e pretendo estar nele. Mesmo sendo minha primeira vez numa prova 24 horas e nesse formato, meu psicológico está bom. Já fiz provas bem distintas dessa, mas em todas pude extrair um aprendizado diferente”, salienta.

A receita para o sandumonense chegar ao topo do pódio já está preparada. “Vou levar um pouco do que passei nos 300km, onde aprendi que a paciência é a nossa melhor companhia e que dosar a prova desde o início é fundamental. Também tenho a consciência de que consigo atravessar a noite sem ter que parar para descansar e que sou capaz de vencer”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *