Juiz-forana quebra recorde mineiro dos 100m com barreiras e alcança índice para o Troféu Brasil de Atletismo

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: arquivo pessoal

Integrante do Centro Regional e Iniciação ao Atletismo da Universidade Federal de Juiz de Fora (CRIA UFJF) desde os 14 anos, a atleta Camila Paiva, agora com 20, acaba de alcançar um dos maiores feitos de sua trajetória esportiva: a quebra do recorde mineiro nos 100m com barreiras e, consequentemente, o índice para o tão sonhado Troféu Brasil, que acontece entre os dias 09 e 11 de junho, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Ela conseguiu essa façanha no final de semana passado, durante as disputas do Campeonato Carioca, onde abaixou a marca da prova de 14”38 para 14”33.

camila paiva - pessoal

Camila Paiva abaixou o tempo da prova de 14”38 para 14”33 (Foto: arquivo pessoal)

“Entrei no projeto pouco antes de completar 15 anos – primeiro para representar a escola no Intercolegial. Um mestrando e treinador na época me convidou para treinar, e foi assim que comecei. Quando entrei, fazia todas as provas, mas acabei indo mais para as corridas de velocidade, pois a qualidade era melhor. Depois, fiquei só na corrida com barreiras e velocidade rasa, até que a barreira se tornou minha prova principal e a corrida rasa, secundária”, revelou.

Para o treinador Pablo Ramon Domingos, responsável pela preparação da recordista, o momento é de buscar ainda mais aperfeiçoamento para o desafio que está por vir. “A Camila é uma atleta que fez o caminho ‘ideal’: ingressou no projeto e foi treinando, até que entrou na faculdade. Atualmente, faz Educação Física na UFJF. Agora vamos acertar alguns detalhes para que ela possa competir no melhor desempenho possível no Troféu Brasil, já que lá estão as melhores atletas do país”.

Motivação é o que não falta para a juiz-forana. “O recorde mineiro é consequência do índice. Minha meta era fazer o tempo de 14”34. Se eu fizesse um tempo abaixo disso, já bateria o recorde. É  a primeira vez que vou disputar o Troféu Brasil. Espero fazer um tempo melhor e correr, pelo menos, a semifinal”, conclui.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *