Juiz-forano segue em ritmo de conquistas nas maratonas aquáticas

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: Divulgação/Rei e Rainha do Mar

A temporada segue em ritmo acelerado nas maratonas aquáticas para o jovem Arthur Rizzo (VidAtiva/Sport Club JF/Vem Nadar), de 17 anos. Semanas após estrear nas provas de longa distância pelo litoral paranaense, ele encarou novas disputas no último final de semana e agora segue para mais um desafio no próximo domingo, 21.

arthur rizzo - hugo keyler - rumo certo

Apesar de mar agitado, Arthur Rizzo não se deixou abater e completou 20km em ultramaratona pela Ilha do Mel (Foto: Hugo Keyler/Rumo Certo)

Indesistível 

III Ultramaratona Ilha do Mel, de 20km, realizada no final de abril, trouxe a sensação ainda é de dever cumprido. “Os dez primeiros quilômetros estavam tranquilos; depois, até o Km 15, complicou um pouco; só que os últimos 5km foram os mais difíceis, porque teve muita correnteza e ninguém estava conseguindo vencer. A gente via o pórtico e onde precisava chegar, mas não conseguia, porque a correnteza era muito forte. Nenhum atleta estava conseguindo passar e teve caiaqueiro que não aguentou o mar (muito alto e muito ‘mexido’; difícil mesmo)”, lembrou.

Nadador mais novo da competição, ele considerou o fato de completar a prova uma verdadeira vitória. Isso, sem falar que os planos para o próximo desafio de longa distância já estão traçados e devem se concretizar no final do ano, na Travessia 14 Bis, com 24km de Bertioga a Santos, no litoral sul paulista. “Meu psicológico ficou abalado e eu estava ficando ‘maluco’, com muito cansaço físico e mental. Pensei em desistir várias vezes, só que já tinha nadado aquilo tudo e decidi não parar. No final, graças a Deus, consegui um bom resultado, apesar de não fazer o tempo que eu queria – mas ninguém fez. Completei em 6h10min, ficando em 7º geral e 1º da categoria. Agora vou fazer a 14 Bis, porque estou com isso na cabeça há muito tempo. Como aguentei a Ilha do Mel, daqui para frente vou fazer cada vez mais distâncias, para acumular na minha bagagem de atleta”.

arthur rizzo e cebola foz do iguaçu - arq pessoal

Com o treinador Álvaro ‘Cebola’ no Campeonato Brasileiro (Foto: arquivo pessoal)

Do Brasileiro para o Carioca

Pelo Campeonato Brasileiro, no final de semana passado, os resultados também foram satisfatórios: 22º geral e 8º da categoria nos 10km; e 21º geral e 7º na categoria dos 5km. “Foram duas provas bem duras, mas, mesmo assim, consegui me sair bem. Estou muito feliz, pois elas valiam vaga para o Mundial e, por isso, estava bem forte, tendo vários nadadores olímpicos, tanto de maratona quanto de piscina. Ainda faltam três etapas até o final do ano e este final de semana já tem o MASF, que é o Campeonato Carioca, onde fiquei em 3º geral na etapa de abertura (1,5km), em fevereiro. Acho que, em Angra dos Reis (2km), vai estar mais forte, mas vou em busca do lugar mais alto do pódio”, antecipa.

Considerando ótimos resultados e tempos individuais excelentes, Rizzo avalia estar avançando na modalidade. “Tenho me sentido muito bem durante as competições e, com isso, consigo evoluir cada vez mais. Como faço muitas provas, para o corpo não fadigar, mantenho os treinos, suplementação, fisioterapia e nutricionista em dia. Acredito que ser jovem me ajuda bastante, pela própria recuperação do corpo em relação a um adversário mais ‘velho’. A idade me ajuda bastante a não ficar tão cansado”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *