Juizforanos comemoram participação na Meia Maratona de Floripa e XC Run Itaipava

Sozinhos, em dupla ou em quarteto, atletas da Vidativa tiveram vários motivos para comemorar na capital catarinense e na serra fluminense

Ademar Skalinsk passando pela Ponte Hercílio Luz, cartão postal da capital catarinense (Foto: arquivo pessoal / Ademar Skalinsk)

Ademar Skalinsk passando pela Ponte Hercílio Luz, cartão postal
da capital catarinense (Foto: arquivo pessoal / Ademar Skalinsk)

Meia Maratona de Floripa, em Santa Catarina, no domingo, 08, e a primeira XC Run Itaipava, na região Serrana do Rio de Janeiro, no sábado, 07, foram as atrações esportivas escolhidas por alguns representantes de Juiz de Fora no último final de semana. Ademar Skalinski não hesitou em disputar 21km entre os percursos de 5km e 10km oferecidos pela organização da autointitulada “A meia mais charmosa do país”. Já seu treinador, Gláucio Monte-Mór, encarou a prova Solo (50km), enquanto Raquel Pinheiro e Ester Mendes se aventuraram na Dupla Feminina (26km / 24km), e Carol Barradas, Jone Loures, Thiago Hargreaves e Joana Güttler foram desafiados em Quarteto Misto (12km / 14km / 12km / 12km) na trail run por terrenos de paralelepípedo, estradas de terra e muitas trilhas, passando pelos distritos de Araras, Secretário e Rio do Pedro.

Por Florianópolis

Natural de Ponta Grossa (PR), mas com residência em Juiz de Fora por quatro anos, Skalinski conta que voltou ao estado natal, mas mantém consultorias com a equipe Vidativa à distância, há pelo menos oito meses. “Escolhi a Meia de Floripa por ter fama de ser um percurso muito bonito e para conhecer parte do trajeto da Maratona de Florianópolis. No visual, mesmo com chuva, realmente a cidade não decepciona, porém, foi um percurso duro, com muitas subidas decorrentes de pontes e viadutos, fora o vento constante”.

Mesmo não gostando de divulgar seus resultados, a 38ª colocação geral satisfez o paranaense. “Minha ideia é conciliar o período de treinamento com as corridas renomadas pelo Brasil e pelo mundo. Dificilmente repito provas e este ano optei por selecioná-las para me dedicar mais ao treinamento, a fim de tentar baixar meus recordes pessoais. Meu relacionamento com o Gláucio Monte-Mór, meu técnico, é muito bom. Conversamos semanalmente para ajustar as planilhas. Tem dado super certo”, destaca.

Gláucio Monte-Mor (Foto: arquivo Tatiana Fonseca)

Gláucio Monte-Mor
(Foto: arquivo Tatiana Fonseca)

Treinando para a ultra em Itaipava

Segundo colocado na faixa 36-39 anos, 14º geral na categoria Solo e contando com a torcida calorosa da namorada Tatiana Fonseca, o treinador Gláucio Monte-Mór completou o trajeto em 07:54:06, revelando que a XC Run Itaipava foi uma prova diferente de todas as que já fez. “Muita, mas muita subida mesmo. Passamos em rio, trilha, pedra etc. Paisagens muito bonitas. Imagino que devo ter caminhado mais da metade da prova, devido aos aclives e declives muito íngremes”.

Para ele, a experiência serviu como treinamento. “Não sou bom em trail run, mas foi muita válida a participação lá, porque usei a prova como treino para minha ultramaratona de 24h, em agosto”.

Quarteto fantástico

Cerca de cinquenta minutos antes, em 07:06:17 de percurso, quem completou o desafio foi o Quarteto Misto juizforano. Com a marca, a equipe terminou no segundo lugar geral da classificação por categorias, uma grande surpresa para Carol Barradas. “Não esperávamos mesmo. A prova foi bem dura, com tudo que os apaixonados pelo trail run tem direito: morros intermináveis, descidas, rios, single track, até rapel dessa vez. Acho muito legal essa opção, a emoção da espera para a troca de cada integrante nas áreas de transição, espírito de equipe, superação em nome dos outros participantes”, pontua.

Thiago Hargreaves, Joana Güttler, Carol Barradas e Jone Loures (Foto: XC Run Itaipava)

Thiago Hargreaves, Joana Güttler, Carol Barradas e Jone Loures
 (Foto: XC Run Itaipava)

Essa foi a quarta XC Run da atleta, sendo que suas três primeiras participações foram em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Ela também contabiliza várias provas cross country, como o XTerra nas mineiras Juiz de Fora e Tiradentes, e nas fluminenses Mangaratiba e Teresópolis. “É a terceira vez que corro em quarteto: duas em Búzios, onde ficamos em quarto lugar em 2011 pela categoria quarteto misto; em segundo lugar com o mesmo quarteto em 2012; e em segundo de novo, agora em Itaipava. O próximo desafio parecido deve ser alguma edição do XTerra e a XC Run Búzios, que será em novembro. Eu, pelo menos, pretendo participar”.

Dupla de filme

Em concordância com os amigos, a Dupla Feminina formada por Ester Mendes e Raquel Pinheiro achou a etapa de Itaipava completamente diferente, principalmente pelo rapel. “É muita subida. Passei por um escadão que parecia não ter fim, e não eram escadas comuns. Degraus muito altos, caminho com muitos buracos na descida, trechos bons de estrada de terra e o visual, lindo demais. A sensação que tive é de que iria tocar o céu. Mas não sabia o que fazer no rapel. Como tinha que passar, lembrei dos filmes de guerra e fui”, comenta Ester com entusiasmo.

Ester Mendes e Raquel Pinheiro em Itaipava (Foto: arquivo Raquel Pinheiro)

Ester Mendes e Raquel Pinheiro em Itaipava
(Foto: arquivo Raquel Pinheiro)

As 09:44:25 de prova não foram suficientes para colocar a dupla na classificação geral da categoria, mesmo assim, a parceria é muito comemorada. “Fiz muito além do devido. Depois do escadão, gastei toda minha energia, não me senti bem e tive que parar. Pensei que não iria conseguir terminar, mas pensei em todas as pessoas que estavam me esperando, principalmente a Raquel, que confiou em mim. Ela começou e eu terminei. É uma grande amiga. Ficamos na oitava posição, mas valeu a pena. Cheguei bem e feliz, e isso é o que importa”, complementa.

Integrante da faixa 50-54, Ester não está acostumada a esse tipo de desafio, mas também se alegra por ter feito o XTerra Juiz de Fora duas vezes e a etapa de Tiradentes uma. O resultado que lembra com carinho foi o de sexto lugar por idades e 95º geral no XTerra da cidade histórica, no ano passado.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *