MEDICINA DO ESPORTE: A importância de uma boa postura

boa postura moça - foto shutterstock - rep revista viva saúde uol

Foto: Shutterstock / Reprodução Revista Viva Saúde – UOL

Observo com muita frequência em minha clínica uma grande preocupação dos pais com a postura de seus filhos, gerando até conflitos de relacionamento decorrentes de queixas e broncas. O pensamento é que, se esses problemas não forem corrigidos adequadamente, trarão consequências ruins no futuro.

Faz todo sentido esse zelo por parte dos pais, mas o que ocorre é que, muitas vezes, os filhos não tem “culpa” por andarem de forma estranha ou ficarem com os ombros curvados para frente.

A questão postural é muito complexa e depende de fatores voluntários e involuntários. Deve-se diferenciar, então, os hábitos posturais das alterações posturais. Muitas pessoas tem o hábito de fazer quase tudo na cama: ver televisão, estudar, ficar horas na internet e até comer. Esses são exemplos de hábitos posturais inadequados, que podem gerar sobrecarga e encurtamento nos músculos, tendões e ligamentos, influenciando na postura.

Durante o estirão de crescimento que ocorre na adolescência, período esse de mudanças físicas e de hábitos sociais, essas alterações são observadas com maior clareza.

Corrigindo a postura

Existe um sistema bastante complexo no nosso corpo, que se chama ‘sistema tônico postural’ – o principal responsável por nossa postura. Esse sistema é involuntário, ou seja, não depende do nosso comando consciente para funcionar. Seria como nossos batimentos cardíacos. É aí que se pode interferir de maneira profissional para equilibrar e, por que não dizer, corrigir problemas posturais. Esse sistema possui receptores de postura em vários locais do corpo, como nos olhos, articulações, sistema manducatório, entre outros. Mas, o local que possui a maior parte desses receptores se localiza na planta dos pés. Existem algumas técnicas para correção postural. A que eu gostaria de destacar são as palmilhas de reprogramação postural.

Orthopedic insoles

Foto: Reprodução / Arte Corpus

Uma pisada inadequada pode gerar assimetrias de ordem mecânica que estimulam de forma inadequada o sistema tônico postural, gerando bloqueios e compensações em várias partes do corpo. Em função disso, os indivíduos podem apresentar, além da má postura, quadros de enxaqueca, dores na coluna, hérnias de disco, lesões nos quadris e joelhos, tendinites e bursites nos ombros, esporão no calcâneo, fascite plantar, entre outros. Através de um exame clínico simples, pode-se identificar esses bloqueios e compensações. Complementa-se o exame com a avaliação da pisada. Confirmadas as alterações, confecciona-se uma palmilha que tem que ser personalizada. Durante esse procedimento, já se observa a correção clínica das alterações em sua grande maioria. Esse tratamento dura cerca de 1 ano e, a cada 3 meses, é necessária a reavaliação para troca de peças das palmilhas. Os resultados são muito bons, é indicado para todas as idades e não tem contraindicações, porém, a indicação tem que ser precisa, pois há pessoas que não precisam usar palmilhas de reprogramação postural.

Saúde em equilíbrio, esse é nosso objetivo!

Dr. Fernando Mascarenhas Duarte Mendes
Médico Especialista em Acupuntura e Ortopedia
CRM – 25937 / Tel: (32) 3214-5805
drfernandomascarenhas@yahoo.com.br

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *