Mizuno Uphill Marathon desafia corredores locais em Santa Catarina

* Priscila Oliveira; Foto de capa: Divulgação

Abrindo o mês de agosto com chave de ouro, a tarde deste sábado, 1º, vai ser de novos desafios para Carolina Hallack, Edson Nascimento, Marcos Hallack, Maria Cláudia Silva e Junior Meurer. Enquanto os quatro primeiros representam a equipe SaúdePerformace, o último defende o grupo Viva Sport Club – todo eles com o mesmo objetivo: colocar o nome de Juiz de Fora na disputa que considera quem consegue cruzar a linha de chegada um verdadeiro “ninja”. Com 42km de subida pelo estado de Santa Catarina, os seletos participantes da Mizuno Uphill Marathon largam no município de Treviso, passando pela cidade de Lauro Müller, com chegada no mirante de Bom Jardim da Serra, através da Serra do Rio do Rastro, percorrendo trechos das rodovias SC-447 e SC-446. A prova começa às 16h30 e tem tempo máximo de 6h.

mizuno uphill marathon saúdeperformance - ananda guevara

Edson Nascimento, Maria Cláudia Silva, Carolina Hallack e Marcos Hallack (Foto: Ananda Guevara)

Para testar limites e ‘completar bem’

Destacando a estreia dos juiz-foranos nesse circuito catarinense, Maria Cláudia Silva, 37, chama atenção para o crescimento do número de participantes na maratona, que, segundo ela, chega à sua terceira edição passando de apenas 50 convidados em 2013 para 300 inscritos no ano passado e 600 atletas confirmados atualmente. “O que me motiva a participar é o desafio, porque adoro testar meus limites. Meu amigo Junior me ‘colocou pilha’ e eu falei que iria somente se fosse alguma mulher comigo. Daí chamei a Carolina. Confesso: corrida no morro sempre foi meu calcanhar de Aquiles – acho que isso foi o que mais me estimulou a ir nessa prova”, revela a corredora, natural de Carangola.

De volta aos treinamentos de corrida desde o início do ano, “Claudinha” (como é chamada pelos amigos) se preparou durante 100 dias, mesclando treinos de rua, em estadas de terra, treinamento funcional e até natação, como forma de aliviar o estresse nas articulações e estimular a parte cardiorrespiratória. “Estou pensando em curtir o caminho, as paisagens e o clima. No início da prova tem algumas descidas, mas, no final, depois do Km 30, é só subida bem íngreme, que chamamos de ‘paredão’. Meu objetivo é completar bem. Não estou buscando tempo nem performance, afinal, além de atleta amadora, sou empresária e esposa. Estamos todos muito ansiosos”.

Clique AQUI para ver fotos da Mizuno Uphill Marathon.

mizuno uphill marathon junior meurer - arq paula ramos

Junior Meurer contemplando o desafio (Foto: arquivo pessoal / Paula Ramos)

Comemoração especial ‘numa prova top’

Para Junior Meurer, o clima também é de superação. Às vésperas de completar 40 anos, a meta de comemorar o aniversário fazendo ‘uma prova top’ promete ser cumprida com louvor. “Como já fiz duas maratonas (no Rio de Janeiro em 2011 e em Porto Alegre, em 2013), resolvi me arriscar nessa prova bem diferenciada. Por ter corrido os 42km no Rio Grande do Sul, recebi um e-mail falando sobre a Mizuno Uphhil Marathon, no mesmo ano. Em 2014 recebi de novo, mas não estava preparado. Porém, quando abriram inscrições para essa edição, no final do ano passado, eu disse: ‘É agora’. Ela é disputada numa das estradas mais belas (e difíceis) do mundo, com altimetria que bate os 1.200m de ganho e percurso em asfalto, concreto e calçamento”, antecipa.

Coordenados pela atleta Viviany Anderson, os treinos de “Juninho” (como é carinhosamente apelidado) foram focados principalmente em resistência e ‘muito morro’. “Pela dificuldade da prova, tem que ser ‘ninja’ mesmo, porque fazer maratona não é uma tarefa muito fácil, já uma maratona de subida se torna ainda mais difícil. O horário da largada é atípico, o frio vai aumentando ao longo do percurso, o cansaço fica acumulado… Nunca corri nessas condições, com uma altimetria tão bruta assim. Por isso, espero apenas conseguir terminar no tempo limite. Estou preocupado com uma lesão no joelho de última hora, mas vamos na raça mesmo. Será uma batalha, mas só saberei se vou conseguir vencê-la se eu tentar”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *