Musculação para alunos avançados

musculação para alunos avançados - rep blog hipertrofia

Imagem: Reprodução / blog Hipertrofia

Olá, Caros Leitores! Em nossa coluna mensal sobre Musculação, já abordamos diversos temas sobre a prática do levantamento de pesos, desde iniciantes e crianças até gestantes e idosos. Hoje, vamos falar sobre alunos que praticam o treinamento com pesos há bastante tempo.

Na verdade, quem determina o grau de experiência e o nível de aprendizado do aluno é o treinador. Diversos fatores influenciam nessa classificação, do tempo de prática à técnica de execução e coordenação motora para realização dos movimentos de maneira correta e segura. Não podemos (nem devemos) levar em consideração apenas o tempo de prática da modalidade, uma vez que a assiduidade influencia diretamente neste quesito.

O volume e frequência de treinos, séries e repetições, intensidade de carga intervalos entre séries e sessões de treino, e musculatura envolvida são umas das principais variáveis que norteiam um programa de treinamento com peso – mas o que vemos por aí são pessoas abusando desses fatores na hora de periodizar o treinamento, principalmente dos alunos avançados.

Um aluno pode ser considerado de nível avançado a partir do momento em que executa corretamente os exercícios, consegue treinar com cargas elevadas e apresenta uma boa recuperação entre as sessões de treino. À medida que o praticante avança no treinamento cabe ao treinador manipular as variáveis, de maneira que o aluno consiga render ao máximo e conquistar resultados expressivos sem que treine em excesso.

A seguir, listo algumas dicas que podem ajudar a turbinar o treino dos seus alunos avançados:

musculação para alunos avançados drop set - rep treino mestre

Técnica drop set (Imagem: Reprodução / Treino Mestre)

1. Frequência semanal de treno entre 3 e 6 dias;

2. Executar o exercício buscando o número máximo de repetições possíveis na série;

3. Utilizar métodos como: drop set, super set e bi set;

4. Variar as sessões de treino e as divisões musculares;

5. Variar o volume de repetições, a ordem dos exercícios e a intensidade de carga da unidade de treino;

6. Manipular o tempo de recuperação entre as sessões de treinamento.

Nunca deixe de lado a segurança do praticante, uma vez que ele treina com cargas intensas e buscando sempre o seu máximo. O período de recuperação entre as sessões não deve ser negligenciado, ainda que o aluno queira mais. Respeite os intervalos e o período de descanso para que seu aluno possa ter a supercompensação e evoluir continuamente.

Em meu trabalho, na proporção que meu aluno avança, destino minha atenção à qualidade do treino e não à quantidade. Fazendo das palavras de um Mestre que tive a oportunidade de conhecer as minhas: “Treine seu aluno até que ele faça o exercício de forma correta. Depois treine até que ele faça errado”. Ou seja, o volume ideal de treino determina seu tempo.

Seguindo a linha do “menos é mais”, fica a dica: “Treino bom é o treino de qualidade”.

Forte abraço, e até a próxima!

Prof. Esp. Fábio Mendes Gomes Caliaro
Graduado em Educação Física pela UFJF
Pós-Graduado em Musculação e Treinamento de Força pela UGF
Personal Trainer e Sócio-Proprietário da Hyperion Assessoria Esportiva
Tel: (32) 9916-3682 / CREF 010907-G/MG
Imagem de capa: blog Vitamins.nl

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *