PAN DE MTB BRASIL 2014: Movimentação dos atletas já começou em Barbacena (MG)

Pelo menos 15 países serão representados na cidade mineira até domingo, 30, em provas válidas pelo ranking UCI
O atleta Robson Aloisio testou suas habilidades na pista do Pan
(foto: Priscila Oliveira/Rumo Certo)

As disputas do Panamericano de Mountain Bike 2014 acontecem oficialmente entre os dias 27 e 30 de março, mas a movimentação das pelos menos quinze delegações que participam das modalidades Cross Country (XCO), Downhill (DH) e Marathon (XCP) já se intensificam na cidade mineira de Barbacena. Ainda nesta quarta-feira, 26, de 14h às 18h, ocorre o treinamento de todas as categorias de XCO e o reconhecimento a pé da pista de DH. Após uma visita ao Parque de Exposição Senador Bias Fortes na semana passada, o Rumo Certo trouxe todas as informações sobre o que foi preparado para desafiar os mais de 700 atletas inscritos na competição, que é considerada a principal do mountain bike das Américas e conta pontos para o ranking UCI (União Ciclística Internacional).



Sonho dourado
Dono de cinco títulos nacionais e duas medalhas conquistadas nos Panamericanos de MTB em 2002 (bronze em Santiago – Chile) e 2006 (prata em Camboriú – Brasil) pela categoria Master, o juizforano Robson Aloisio entrou na disputa em busca de mais um pódio. “Venho tentando esse ouro há doze anos e não posso perder essa chance agora, tão pertinho de casa. Tivemos a notícia de que o campeonato seria realizado em Barbacena com bastante antecedência. Foi possível cooperar com a elaboração da pista desde o início, acompanhar de perto a evolução de cada obstáculo e isso traz muita auto-confiança, porque são vantagens que certamente os outros pilotos não tem”, antecipou.
Convidado a reconhecer o circuito durante entrevista para uma emissora de TV local, ele fez suas considerações sobre a pista de cross country. “O cuidado de se fazer uma prova a nível internacional é perceptível logo no inicio – na confecção de rampas, degraus, descidas de pedras que dificultam as passadas, saídas de curvas com retomadas em velocidade. Tudo favorece o atleta que tem a técnica como uma de suas principais qualidades”. Em seguida, deixou um recado para os concorrentes: “Minha intenção é ganhar, respeitando todos os adversários do Brasil e de fora também, mas as chances são muito grandes e quero saber aproveitá-las”.

Mesmo fora da disputa, Moisés Gonçalves se empolgou com os
desafios do cross country (foto: Priscila Oliveira / Rumo Certo)


Muitos desafios

Quem ainda aprovou a pista foi o atleta Moisés Gonçalves, que não participa da competição, mas fez questão de acompanhar o também treinador Robson Aloisio no reconhecimento do local. “O circuito ficou muito bom e bem duro também. Não consegui passar por alguns obstáculos e tem uma rampa que deve complicar o percurso de quem está acostumado a treinar só estradão. O pessoal vai passar aperto. Conhecer tudo isso serviu como um incentivo a mais para eu participar de outras competições, como a Marathon Cup”.

De acordo com o organizador Felipe Gomes, Minas Gerais disputou a realização do evento no Brasil com outros quatro estados, fazendo com que a vitória da “Cidade das Rosas” fosse muito comemorada. “Barbacena atendeu muito bem às nossas demandas e já está tudo pronto para começar os desafios. São 4,5km de XCO,  1,5km de DH e 50km de XCP. Trouxemos várias idéias internacionais para as pistas, como ‘rock garden’, escada de madeira, rampa – tudo para atender às inovações do cross country e downhill na atualidade e fazer com que os atletas fiquem satisfeitos com as nossas provas”, finalizou.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *