PEDAL E CICLISMO: Como treinar e competir no frio

treino no frio - rep stopa no limits - Cópia

(Foto: Divulgação / No Limits)

Encontramos no Brasil um frio mais intenso do que o normal para esta época do ano. Tivemos várias semanas frias e acredito que outras virão. Com isso, muitos atletas tem tido dificuldades de realizar seus treinos. Por isso, resolvi escrever um pouco sobre esse assunto e deixar algumas dicas para ajudá-los a enfrentar o frio e a cumprir suas planilhas.

De um modo geral, treinar no frio e uma questão de estar preparado e vestido adequadamente para enfrentar as baixas temperaturas, com ou sem chuva e ventos gelados. Vestir-se em camadas é uma alternativa muito boa e costumo dizer que estou saindo para treinar “empacotada”.

A primeira camada deve ser uma roupa que chamados de “segunda pele”, pois essas roupas nos mantém quentes e garantem que nossa pele consiga transpirar normalmente, sem que o tecido fique encharcado – já que os tecidos dessas roupas facilitam a remoção do suor de nossa pele para fora do tecido. A segunda camada pode ser a camisa normal de ciclismo e, se a temperatura estiver até 15ºC, um bom corta vento como terceira camada é suficiente para dar conta do recado. Se a temperatura estiver entre 0ºC e 15ºC, aí sim, aconselho colocar mais uma camada, agasalhos de frio com um tecido mais grosso. Nessas temperaturas, um bom gosto, luvas, botinhas para sapatilhas e calça ou pernito são recomendadas.

1. Hidratação: Na minha opinião, um dos maiores erros de treinamento no frio é a falta de hidratação. É fato que costumamos transpirar menos do que num dia de calor, mas nem por isso deixamos de transpirar. Por isso, é recomendável não se esquecer da hidratação. A orientação é de tentar ingerir pelo menos 50% do que se bebe num dia normal;

roberta stopa - foto paulo pinheiro vieira

Roberta Stopa (Foto: Paulo Pinheiro Vieira)

2. Horários mais quentes do dia: Tentar treinar nos horários perto do meio-dia (entre 10h e 15h), pois são quando conseguimos as maiores temperaturas;

3. Aquecimento: É importante não só manter o aquecimento dos treinos, como tentar aumentar o seu tempo. No frio, a importância do aquecimento aumenta muito nos treinos, porque nosso corpo demora mais para conseguir lubrificar as articulações e irrigar os músculos de maneira a prepará-los para o exercício, e, sem o devido aquecimento, isso aumenta o risco de lesões;

4. Dê ênfase na intensidade: Por mais agasalhados que estejam, para alguns, treinar no frio é desconfortável. Uma alternativa, então, é seguir o exemplo de nossos amigos europeus, que, durante o inverno, diminuem a duração dos treinos e dão ênfase na intensidade. Assim, consegue-se trabalhar o seu condicionamento físico em mais tempo.

Beijocletas, e até a próxima!

Roberta Stopa
Atleta Profissional de Mountain Bike
Graduada em Educação Física pela Faculdade Metodista Granbery
Tel:  (32) 8801-6650 / falecom@robertastopa.com.br
Patrocínio: Damatta/Dabomb/X-Fusion
Co-patrocínio: Cadu Polazzo/Thule//Bagal Bikes/No Limits
Apoio: X-Pedo/Maxxis-Calypso/Nuun/Honey Stinger/MOB
Parceiros: FECIERJ/Studio Way3/Las Casas/Projeto TopFisio/Brasil Ride

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *