Pelas Trilhas de Pequeri promete reajustes na próxima edição

* Priscila Oliveira ; Fotos: Hugo Keyler

O último domingo, 12, foi de novas aventuras para os ‘mountain bikers’ da região. Divididos em passeios de 14km e 25km, e numa simbólica prova competitiva de 29km, dezenas de atletas foram desafiados na quarta edição do cada vez mais tradicional Pelas Trilhas de Pequeri. Organizado pela Prefeitura, em parceria com a equipe juiz-forana Kopa, o evento movimentou a cidade e toda a população local, agradou vários participantes, mas promete reajustes para que seja ainda melhor no ano que vem.

DSCF0038

Premiação dos melhores atletas da “categoria” Masculino Open

Brutos e brutas

Na “categoria” Masculino Open, considerada a mais “bruta” de todas, Rafael Santos (Bike Force Adventure) desbancou a concorrência e subiu no topo do pódio, acompanhado de colegas como Lamartine Vital (2º),  Célio Antônio Gomes Fiorillo (3º), Kaydson Rabello (4º), Guilherme Antunes Maia (5º) e dos representantes do Pedal Ecológico Benfica, Aurenes Fazolo e Jésus Grázzia (6º e 8º lugares, respectivamente). “O percurso foi muito técnico, muito bom, mas pecou um pouquinho na organização. Entendo a boa vontade da Prefeitura, porém, para a gente que corre várias provas durante o ano, teve muita confusão no trajeto. Mesmo assim, valeu a pena. Sempre dou meu melhor, só que não esperava ganhar. Se o título vier, bem; se não vier, vale participar”, avaliou o campeão.

DSCF0022

Carmem, Roberta, Gabriella e Rafaele no pódio Feminina Open

Já na disputa Feminina Open, a “brutalidade” também aflorou e quem saiu na frente foi Carmem Guilhermino, que ficou na primeira colocação, além de ser premiada ao lado da amiga e colega de equipe Roberta Boechat (RAAS Training, 2º). Gabriella Souza (3º) e Rafaele Oliveira (4º) completaram a classificação. “A prova foi boa, mas, infelizmente, pecaram por falta de marcação. Eu andei muito tempo sem ver ninguém e não é só ‘risco’ no chão – tem que ter uma fita pendurada, uma pessoa sinalizando, um ponto de água… Faço muito trilha e sei que é difícil, mas acho que eles poderiam ampliar o número de pessoas trabalhando em prol da prova. Meu resultado, em si, foi muito bom, porém não esperava. Fiquei feliz quando disseram que fiz o caminho certo, porque teve gente que errou e fiquei com medo de ter errado também. Estou muito satisfeita com o 2º lugar. O importante é participar”, ponderou a vice-campeã.

DSCF0043

Prefeito Joaquim Simeão de Faria Neto, à esquerda, e Roberto Moreira, da Equipe Kopa, à direita, durante premiação da categoria Dupla Mista

Na Dupla Mista, o casal Olinda Maurício e André Passarinho (Bikeschool/ SaúdePerformance, 3º) ficou entre os destaques, junto com Felipe Gomes ‘Mamão’ e Cris Xavier (1º), e Welton Braz Resende e Lívia Mendes Fontes (2º).  ”Foi a primeira vez que participei, então não tenho parâmetro de comparação com outras provas. Tivemos um probleminha no percurso, pois acho que faltou gente no apoio. Mas, para mim, foi uma grande experiência, já que pedalei uns 20km só usando a coroa, contando com minha força de vontade e a bagagem do meu marido. Fomos o segundo casal a chegar, porém, como houve esse problema de erro no trajeto, achamos justo passar a segunda colocação para o outro casal”, revelou Olinda.

De passeio à competição: uma evolução necessária

Segundo o prefeito Joaquim Simeão de Faria Neto, o Pelas Trilhas de Pequeri surgiu a partir do grupo local Juventude Bikers, em 2012, durante a administração passada. Com o crescimento no número de jovens engajados com a prática esportiva, seus benefícios e toda a disciplina que ela traz, além da adesão cada vez maior de adeptos ao evento (saltando de 200 para 250 e 340, respectivamente, nas três últimas edições), a atividade passou a contar com o apoio da Prefeitura e a fazer parte do calendário esportivo oficial tão logo assumiu o Executivo municipal.

DSCF0003

Mountain bikers reunidos na largada, em frente à Praça da Estação de Pequeri

“No ano passado, apareceram atletas amadores que realmente competem – essa demanda aconteceu naturalmente e fez o Pelas Trilhas evoluir muito em relação à edição passada. Porém, percebemos que, para ele ser competitivo, ainda precisamos evoluir muito. Por isso, em 2016, vamos tratá-lo de duas maneiras distintas: o Passeio, que vai ser organizado pela Prefeitura; e a Competição, já com chancela da Federação Mineira de Ciclismo – porque, assim, eles mesmos fazem a quilometragem, a marcação e nos ajudam a tomar conta da prova”, salientou.

Declaradamente um triatleta que não participa mais de competições, mas mantém treinos frequentes de corrida, ciclismo e natação, Joaquim ressalta o potencial turístico de Pequeri, principalmente por ser uma cidade acolhedora e com belas paisagens naturais. “Queremos que esse evento seja reconhecido não só pela beleza da nossa região, mas por sua organização em si. Peço desculpas em nome de todos da comissão organizadora e, desde já, reafirmo meu compromisso de trabalhar para que o Pelas Trilhas de Pequeri seja ainda melhor nos próximos anos”.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *