Pilotos de JF disputam Copa EFX em Barra do Piraí (RJ)

Eles representam a equipe Apriori Racing Team na terceira etapa do campeonato este ano
Fabrício Galil, Thiago Procópio, Breno Rezende, Marco Antônio Baptista,
Fábio Galil e Junior Burille são parte da equipe Apriori Racing Team
(Foto: arquivo pessoal / Breno Rezende)

Acostumados a participar de enduros de regularidade pela região e entusiasmados com a possibilidade de desbravar novos rumos no universo das trilhas, um grupo de amigos de Juiz de Fora acelera para as primeiras disputas na modalidade FIM neste domingo, 18. Defendendo a equipe Apriori Racing Team, mas sem esquecer a busca por desafios próprios, eles se unem a centenas de pilotos nacionais e internacionais no Distrito de Ipiabas, em Barra do Piraí (RJ), onde acontece a terceira etapa da Copa EFX.

Por dentro da competição

Com certa experiência entre os juizforanos, por ter participado de algumas etapas do campeonato no ano passado e retrasado, pela categoria E2 (motos até 250 cilindradas – cc- Pró), e seguir firme no calendário da nova temporada na E5 (até 250 cc Junior), o piloto Ruan Marra explica as principais características desse tipo de competição. “O enduro FIM é uma prova de velocidade. Normalmente, são três voltas com 40km a 50km de distância, onde ficam divididos os trechos cronometrados, chamados ‘especiais’. Eles são: enduro test (trilhas), extreme test (troncos, pneus, manilhas etc.) e cross test (como se fosse um motocross)”, pontua.

Ruan Marra e o conterrâneo Guilherme Ambrósio na Copa EFX
(Foto: arquivo pessoal / Ruan Marra)

E dá detalhes importantes. “Na primeira volta, a gente faz o reconhecimento do percurso, que é todo marcado por bumps (faixas) e placas indicativas, como de perigo e sentido da curva. Os pontos começam a valer na segunda e terceira voltas. Precisamos sair do deslocamento e, no meio da trilha, tem uma placa escrito ‘inicio da especial’, com uma pessoa marcando o número de cada um, o inicio e o fim da prova. Já o extreme test fica num parque fechado, que é o local em que as motos ficam após a vistoria e onde as pessoas conseguem assistir e fazer parte do evento”, destaca.

Acumulando um 11º, um 8º e duas quartas colocações como alguns dos resultados na Copa EFX, Marra prevê os próximos desafios. “Vou brigar pelas primeiras colocações. Minhas expectativas são ótimas, porque fiz bons treinos, estou preparado e pegando mais experiência a cada prova. A galera daqui vai também, então, vai ter uma torcida motivante. Vai ser muito legal”. Sobre a disputa pela Apriori Racing Team, a ansiedade também é enorme. “Apesar de ter várias equipes fortes, que já estão há muito tempo, como a Gas Gas Racing, KR, Motofield e Zanol Team, tudo é possível”, conclui.

Avaliando seu próprio desempenho

Novato na Copa e inscrito na E4, que reúne motos acima de 251 cilindradas Junior, o piloto Breno Rezende afirma que não tem grandes pretensões para a estreia no campeonato. “Dizem que é tudo muito organizado e que quem vai uma vez sempre volta. Minha categoria é a que tem mais inscritos até agora, tem gente lá que anda de moto todo dia e já tem prática nesse tipo de prova. Então, o que vier é lucro”.

Por enquanto, o principal objetivo dele é avaliar seu próprio desempenho. “Acho muito legal testarem todas as habilidades do piloto, porque ganha quem for o melhor em andar de moto, literalmente. Não adianta ser bom nó na trilha ou no motocross, por exemplo”.

Thiago Procópio, Breno Rezende e Ruan Marra
(Foto: arquivo pessoal / Thiago Procópio)

Rivalidade boa

Confirmado na mesma categoria, Thiago Procópio acredita que correr enduros de regularidade pode, sim, ajudar nas disputas de velocidade. “São modalidades totalmente diferentes, mas toda experiência é bem-vinda. É tudo muito novo para mim, mas estou muito ansioso, por ser estreante e saber que os melhores pilotos estão lá. Essa é uma das melhores copas do Brasil”.

Além de concorrer aos pontos pela E4 com Rezende, ele ainda encara o amigo Fabrício Galil nas disputas da categoria. Nessas horas, o que vale é a máxima “amigos, amigos, trilhas à parte”. “Essa rivalidade é boa. O importante é a experiência, mas ganhar é sempre bom. Os concorrentes são muito fortes, se eu ficar entre os cinco primeiros já estou muito feliz”, conclui Procópio.

Dessa vez, a caravana de trilheiros da Apriori Racing Team ainda é formada pelos pilotos Marco Antônio Baptista (E1, moto com mais de 251 cilindradas Pró) e Rodrigo Mendonça (E6 Over 35 com motos em força livre).

O campeonato

A Copa EFX também reúne participantes nas categorias E1, E3, E6, E7 e E8, onde são pontuados geralmente os cinco primeiros colocados. O campeonato também é composto por disputas femininas, por clubes, equipes e fábricas. Este ano, o calendário segue com outras três etapas, previstas inicialmente para os dias 06 de julho, 14 de setembro e 19 de outubro. A premiação final da temporada está marcada para o mês de novembro, mas, em todos os casos, os locais estão sujeitos a alteração.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *