“Rei da Montanha”, juiz-forano disputa Descida das Escadas de Santos

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: João Paulo Labeda

gabriel - desafio de santos - sn borges

Gabriel Giovannini durante desafio na comunidade do litoral paulista (Foto: SN Borges)

Uma pista de 600 metros, cheia de obstáculos e adrenalina, desafiando os melhores atletas de downhill do Brasil e do mundo em 514 degraus pelo Morro do Pacheco, em Santos, no litoral de São Paulo. Essa é a receita que vai fazer do município paulista a capital mundial da modalidade neste final de semana, quando acontece a 16ª edição da Descida das Escadas de Santos. Entre os favoritos ao título está o juiz-forano Gabriel Giovannini (Gantech Gancheiras/ Vip Fisiopersonal/ IMS Racewear), de 25 anos, atual campeão da Copa América de DH e que já conhece bem o que vem pela frente.

“A pista inteira tem partes bastante técnicas, mas dois trechos são cruciais: uma entre um poste e uma casa, que a gente tem que levantar a roda e virar o guidão para conseguir passar melhor; e a ‘escadaria da 11′, que tem quase 40º de inclinação. Tem outro que é de terra e bastante inclinada também – acho que, depois dela, a velocidade chega a 50km/h!”, pontua.

Realizada em meio à comunidade, a prova é uma verdadeira atração para os moradores, que fazem questão de tornar o ambiente de disputas mais acolhedor para os pilotos, como destaca o atleta. “Tem uma vibe bem legal, porque todo o Morro assiste à prova. Bastante gente fica na pista. As pessoas gritam, torcem… É muito legal e bem diferente de uma prova de downhill tradicional, no mato, em que não tem tanta gente. Na Descida o acesso para o pessoal é mais fácil e dá mais público”.

gabriel - pessoa

Em 2017, o downhileiro chegou à 3º colocação geral da competição (Foto: arquivo pessoal)

Boas expectativas

Mesmo com a recente conquista da Copa América (em que foi intitulado “Rei da Montanha”), Giovannini é cauteloso quanto à vitória no circuito. Para ele, que subiu no pódio da Descida em 3º lugar, no ano passado, o título de “Rei das Escadas” seria algo inédito. “É outra prova, com estilo um pouco diferente do que foi em São Roque (SP). Tem grandes nomes também: um chileno (Pedro Ferreira), um equatoriano (Mari Jarrin, campeão em 2012). Então, vai ser bem legal! Estou com boas expectativas, treinei bastante, mas vamos ver domingo como é que vai ser”, encerra.

Desde 2009 um brasileiro não chega ao topo do pódio no trajeto de Santos. Já o tempo recorde da prova é de 58.377, do espanhol Javier Guijarro.

Programação

Ainda nesta sexta os downhileiros participam de treino livre, enquanto amanhã os treinos seguem até a tarde, quando tambpem está programada a etapa classificatória. Os dez melhores garantem vaga nos desafios de domingo, que tem transmissão ao vivo pelo Esporte Espetacular.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *