#RumoÀTocha: Corredora e educadora Neuza Marsicano

* Priscila Oliveira; Foto de capa: Hugo Keyler

neuza 3 - hugo keyler

Neuza Marsicano nas corridas de Juiz de Fora (Foto: Hugo Keyler)

Faltam cinco dias para a passagem da Tocha Olímpica por Juiz de Fora, e aumenta a ansiedade dos nomes escolhidos para o Revezamento do ‘Fogo Olímpico’ pela cidade. Enquanto esse momento histórico não chega, neste domingo, 15, alguns atletas revelam como estão as expectativas e preparativos para esse momento histórico na nossa coluna ‘#RumoÀTocha”. Dessa vez, quem divide sua ansiedade com a gente é a corredora e educadora Neuza Marsicano.

Aos 65 anos, sendo três décadas dedicadas à educação infantil e superior, e completando uma década como atleta amadora nas corridas de rua, a juiz-forana relembra o processo de seleção até a confirmação de seu nome para o Revezamento. “As inscrições seguiram de julho a outubro do ano passado e a escolha foi feita por três patrocinadores das Olimpíadas (Nissan, Coca-Cola e Bradesco). Me candidatei sem pretensão, seguindo todas as orientações, inclusive o de enviar um histórico de vida ligada ao esporte, a projetos sociais etc. – tudo isso que tenho, construído ao longo da minha vida como professora, educadora e atleta. Quando recebi a carta de aceite e um anúncio feito pelo Luciano Huck, a emoção foi enorme”.

Felicidade, emoção, esperança e paz

Muito querida pelos colegas de modalidade, familiares e colegas de ensino, e com um currículo esportivo que contempla não só provas locais, mas grandes competições do circuito nacional e até disputas internacionais, Neuza resume os instantes ‘pré-Tocha’ em duas palavras: felicidade e emoção. “Estou muito feliz em fazer parte desse momento histórico para o nosso país e para a nossa cidade, porque é muito importante Juiz de Fora também ter sido escolhida para receber a ‘Chama Olímpica’. Nossa cidade vai ser reconhecida nacional e internacionalmente (o que já é), por ter uma representação política, esportiva e cultural muito grande”, destaca.

neuza - hugo keyler

Orgulho do broche de selecionada para o Revezamento da Tocha (Foto: Hugo Keyler)

Graduada em Pedagogia e especializada em Psicopedagogia, ela acredita que o maior legado dos Jogos Rio 2016 deve ter um significado ainda maior. “Tudo isso é muito importante para incentivar jovens, adolescentes e crianças à prática esportiva. Enquanto professora e educadora, entendo que a educação e o esporte caminham juntos. Conduzir a Tocha Olímpica é levar o símbolo de esperança e paz a todos os povos, a todos os brasileiros e a todos nós, juiz-foranos”.

‘Todos no coração’

Prestes a viver um dos momentos mais marcantes de sua vida, Neuza Marsicano promete cumprir o trajeto que lhe for concedido com a Tocha da melhor maneira possível – com muita garra e dedicação, como de costume em qualquer desafio. “O sentimento é mesmo de muita emoção, de uma expectativa enorme e aquele pensamento: ‘Será, meu Deus, que é verdade que vou participar desse momento único?’. Meu coração é de uma felicidade enorme e meu desejo é levar todos no meu coração durante o Revezamento. Estou me preparando emocionalmente para estar bem no dia”, conclui.

* Juiz de Fora recebe a Tocha Olímpica no final da tarde de domingo, após passar por São João del-Rei, Tiradentes e Barbacena. A lista oficial dos condutores na cidade será divulgada nesta sexta-feira, 13, pelo Comitê Olímpico.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *