Stella Matutina conquista 24 medalhas no Campeonato Brasileiro de Ginástica de Trampolim por Idades

Ao todo, foram 9 ouros, 5 pratas e 10 bronzes em quatro dias de disputa 

Gabriela Bolpato no trampolim. Tumbling e duplo mini-trampolim também foram disputados (Foto: arquivo Maria Jorgina Bolpato)

Gabriela Bolpato no trampolim. Tumbling e duplo mini-trampolim também foram disputados (Foto: arquivo Maria Jorgina Bolpato)

A equipe do Colégio Stella voltou de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), com vários títulos novamente, dessa vez, no Campeonato Brasileiro de Ginástica de Trampolim por Idades. Representada por dez atletas, de 11 a 17 anos, a instituição conquistou três medalhas de prata e três de bronze no tumbling individual, além de uma prata e um bronze no duplo mini-trampolim, também individual. Por equipes, as ginastas Alice Spinelli, Beatriz Gomes e Gabriela Bolpato garantiram três pódios infanto-juvenis: primeiro lugar no tumbling e terceiro no trampolim e no duplo mini-trampolim. Com esses resultados, o saldo dos representantes de Juiz de Fora foi de 9 ouros, 5 pratas e 10 bronzes na competição nacional.

Por um décimo

Prata no adulto de tumbling, a ginasta Flanciane Silva, 17, não mediu esforços para alcançar outra marca importante e uni-la ao vice-campeonato brasileiro no mesmo aparelho e no duplo mini-trampolim do ano passado. “Foi uma medalha muito suada. Caprichei ao máximo nas minhas séries e não consegui o ouro por um décimo. Mesmo assim, estou muito feliz, porque ser vice-campeã brasileira não é para qualquer um. Agora vou treinar mais para que, no próximo campeonato, eu consiga subir no lugar mais alto do pódio”.

Flanciane Silva (2º) e Luísa Vieira (3º) no pódio individual do tumbling (Foto: arquivo Luísa Vieira)

Flanciane Silva (2º) e Luísa Vieira (3º) no pódio individual do tumbling (Foto: arquivo Luísa Vieira)

Da mesma idade e colega de premiação com medalha de bronze, Luísa Vieira deixou a quarta colocação no nacional de 2013 para trás e acredita que o campeonato deste ano foi válido. “Apesar de ter poucas atletas competindo, foi bom, uma boa experiência. Só achei que eu poderia ter feito melhor porque estava treinando outros elementos que não saíram muito bem na hora. Mas valeu a pena, com certeza”, comentou a vice-campeã de tumbling do último Mineiro e do ano passado.

Ainda no adulto, porém, com a prata do duplo mini-trampolim, a atleta Cássia Delgado, 17, acrescentou mais um resultado importante aos títulos nacionais e internacionais que acumula no esporte. “Achei ótimo, fiquei muito satisfeita. Foi uma competição muito diícil e bem disputada, todos os atletas estavam bem preparados. Mesmo com todo o nervosismo e o fato de ser um campeonato, todo mundo ficou bem unido e acredito que isso vai ser ótimo para o que ainda está por vir”.

Gabriela Bolpato recebendo beijo de Lohayne Clavelari (Foto: arquivo Gabriela Bolpato)

Gabriela Bolpato recebendo beijo de Lohayne Clavelari (Foto: arquivo Gabriela Bolpato)

Voando cada vez mais alto

Depois de voar alto no trampolim, onde ganhou bronze por equipes, e faturar outras três medalhas (bronze no tumbling individual e no duplo mini-trampolim por equipes, e ouro no tumbling por equipes), a vice-campeã panamericana infanto-juvenil de tumbling, Gabriela Bolpato, 13, utilizou o Campeonato Brasileiro como caminho para a busca de prêmios ainda maiores.

“Caí de joelho no tumbling e perdi bastante ponto, mas fiquei muito feliz no duplo mini e trampolim, pois são aparelhos mais difíceis. Fiquei em quinto lugar nos dois, mas nem liguei. Fiz um salto que não estava conseguindo, arrisquei e, só de ter conseguido, me considero campeã. Quem disse que não podemos voar? Nossos desejos e sonhos tornam tudo possível, até mesmo voar sem asas”, afirma empolgada a pachequense.

Tão feliz quanto, mas mantendo a timidez de sempre, a amiga Lohayne Clavelari, 12, “chaveirinho” da equipe, foi objetiva sobre a prata no tumbling e o bronze no duplo mini-trampolim infantil. “Apesar de eu ter machucado, foi bom”. A ginasta ainda foi bronze Campeonato Mineiro deste ano, campeã mineira e vice-campeã brasileira de tumbling em 2013. Na mesma categoria, Clara Ferraz, ficou com o bronze.

Os atletas Rodrigo Rezende, 11, ouro no Brasileiro do ano passado e bronze no último Mineiro pela categoria infanto-juvenil de tumbling, e Yago Vasconcelos, 13, vice-campeão brasileiro do ano passado e campeão do último estadual na mesma categoria e aparelho, também participaram das disputas.

Treinadores Wanderson e Deber Zambelli (Foto: arquivo Gabriela Bolpato)

Treinadores Wanderson e Deber Zambelli (Foto: arquivo Gabriela Bolpato)

Visão técnica

Segundo o professor Deber Zambelli, que divide os treinos do Colégio Stella Matutina (Cultura Inglesa / Torpe / Padaria Fran-Luy) com o irmão e também treinador Wanderson Zambeli, a participação da equipe em mais uma edição do Campeonato Brasileiro de Ginástica de Trampolim por Idades foi positiva, mas trouxe reajustes na rotina dos atletas. “Os resultados foram bons, mas sempre queremos mais. Disputamos com clubes e prefeituras muito bem equipados e patrocinados, fizemos milagre. A proposta já nesta segunda, 02, foi aumentar os treinos de duas para cinco vezes por semana, para que os erros sejam os mínimos possíveis. Só assim poderemos chegar ao Campeonato Júnior e Elite, e disputar a medalha de ouro em setembro”, finalizou.

 

 

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *