Taekwondista comemora desempenho em mundial no Egito. “Não desisti do meu sonho”

* Priscila Oliveira ; Fotos: arquivo pessoal

Se os dias foram de luta por recursos antes de embarcar para o Egito, onde foi realizado o Campeonato Mundial de Taekwondo pela categoria Cadete, entre os últimos dias 24 e 27, agora a atleta juiz-forana Danielly Vitória comemora sua primeira participação em competições internacionais com o sentimento de dever cumprido. Aos 14 anos, ela foi um dos destaques da Seleção Brasileira na disputa, chegando ao combate pela medalha de bronze em sua chave. Bem conceituada entre os responsáveis pela delegação nacional durante o evento, a taekwondista ainda vive as alegrias de estar sendo convidada por grandes mestres e técnicos para treinos em todo o Brasil.

dani vitótia mundial no egito - pessoal

Após realizar seu maior sonho como atleta até aqui, Danielly Vitória volta a buscar patrocínio para as próximas competições

“Foi uma emoção muito grande saber que consegui chegar lá, apesar das dificuldades. Tivemos dois treinos oficiais da Seleção – o que foi muito produtivo e me trouxe ainda mais conhecimento. Voltei para Juiz de Fora na madrugada desta terça-feira. Infelizmente perdi na luta que valia medalha, mas a experiência foi incrível e fiquei sabendo pelos técnicos brasileiros que foi uma das melhores da Seleção. Eles disseram que tenho potencial e que lutei de igual para igual. Não desisti do meu sonho”, revela.

Foco nos resultados

De volta aos torneios nacionais, Danielly acredita ter pelo menos outras duas competições até o final do ano: a Copa Brasil e o Open Londrina. Entre os principais objetivos está o de aproveitar as experiências adquiridas no exterior em busca de resultados ainda melhores. “Se não fosse a correria em busca de patrocínio, a divulgação da campanha #RumoAoEgito, as incertezas da viagem e, se tivesse tido a oportunidade de camping para o meu aperfeiçoamento, eu poderia ter me dedicado mais para o Mundial. Mas, estou feliz e muito orgulhosa de escutar dos grandes mestres que tenho potencial e que minha luta na disputa da medalha emocionou a todos”.

Um aperfeiçoamento em especial já está no radar de Vitória para os próximos desafios. “Apesar de não ter experiência em chutes na cabeça, que valem mais pontos, lutei de igual para igual. Isso valeu mais do que qualquer coisa. Como fui campeã Brasileira este ano, já estou classificada para o Grand Slam do ano que vem, então, minhas chances de me classificar de novo para o Mundial são maiores. Passo para a categoria Juvenil. Desde já, estou em busca de patrocinadores sólidos, para poder focar somente nos meus estudos e treinamentos”, conclui.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *