TRADIÇÃO EM JF: Equipe Super Amigos completa 24 anos de corrida

Fundadores se orgulham de estar juntos até hoje e de reunir um grupo marcado essencialmente pela amizade

Super Amigos reunidos na 3ª Corrida da Saúde Suprema (Foto: Hugo Keyler)

Super Amigos reunidos na 3ª Corrida da Saúde Suprema (Foto: Hugo Keyler)

Enquanto o último dia 30 de março foi de abertura do 28º Ranking de Corridas de Rua de Juiz de Fora, os atletas da Equipe Super Amigos tiveram um motivo a mais para comemorar a realização da 3ª Corrida da Saúde Suprema. Entre outras marcas importantes, eles completaram 24 anos de atividades, tendo um currículo formado por mais de 630 provas no Brasil e pelo mundo, 14 títulos de campeã por equipes na cidade e o principal: a amizade. Em entrevista especial ao Rumo Certo, três de seus seis fundadores resgatam a trajetória do grupo, que acreditam ser um dos mais antigos do município ou até mesmo do estado de Minas Gerais.

Como tudo começou

Ex-integrantes da equipe de corrida do Granbery, José Gilberto de Mello (o Giba), Fernando Costa e Paulo Henrique Gomes se orgulham de lembrar com clareza como tudo começou. “Éramos um grupo de amigos corredores e, entre nós, estava o Antônio Luzia, que trabalhava no colégio e conseguiu um patrocínio para que a gente criasse uma equipe lá dentro. Depois de um tempo, acabamos perdendo essa ajuda e, para não deixar o grupo dispersar, rebatizamos a equipe com o nome de Super Amigos”, inicia Fernando.

Logo na primeira decisão a ser tomada pelo grupo, tudo foi resolvido democraticamente, segundo Giba. “Naquela época, início dos anos 90, o pessoal tinha mania de “super”. Super isso, super aquilo e, como a gente tinha uma turma de amigos, cada um falou um nome e batizamos de Super Amigos. Não éramos apenas seis, outras pessoas faziam parte também. Alguns continuam com a gente até hoje, outros morreram e tem aqueles que deixaram a equipe, mas são nossos amigos ainda”.

Já quem trouxe à memória a prova de estreia dos corredores foi Paulo Henrique, responsável por guardar os principais documentos históricos da equipe. “Foi a Corrida da Vitória, no dia 08 de abril de 1990. Quando a gente começou, praticamente só existiam as equipes Paraibuna, Academia March, Casas Fernandes e Tupi na cidade”, pontua.

Fernando e Paulo Henrique, ao centro, com os Super Amigos no Circuito Estrada Real 2009, em Juiz de Fora (Foto: arquivo Fernando Costa)

Fernando e Paulo Henrique, ao centro, com os Super Amigos no Circuito Estrada Real 2009, em Juiz de Fora (Foto: arquivo Fernando Costa)

Momentos inesquecíveis

Mesmo com experiência em provas como meias maratonas e maratonas, esses três fundadores não conseguem se esquecer da Corrida da Ecologia, que aconteceu no entorno do Poço Dantas, no bairro São Benedito, nos primeiros anos da equipe, em Juiz de Fora.

“Essas corridas de bairro eram bem legais, por causa da confraternização entre os atletas. Tinha outra muito bacana, que subia a Rua São José todinha, no Vitorino Braga”, destaca Giba, enquanto Fernando completa: “Fora da cidade, a Meia Maratona de Nova Friburgo (RJ) foi importante, porque ficamos em segundo lugar por equipes, atrás do Cruzeiro, de Belo Horizonte, em 1994”.

Esclarecimentos

Apesar não conhecerem a história do grupo de atletismo a fundo, o desejo de fazer parte dessa família, tradicionalmente formada por homens, persiste em muitas pessoas. Mas as vagas são limitadas. “Muita gente pergunta o que deve fazer para entrar, mas não tem jeito. Vontade de aumentar nossa equipe não falta, se pudesse, ela teria 90 atletas. Só que é preciso ser indicado, porque não é só vestir a nossa camisa e correr por correr. Independente do nível técnico, é preciso ser nosso amigo de verdade para participar”, define Giba.

O amigo Fernando aproveita para esclarecer outra dúvida frequente dos colegas corredores. “Até hoje, muita gente pergunta se oferecemos consultoria esportiva, só que não. Às vezes, até coincide um ou outro, mas todo mundo treina separado, nunca existiu um treino só nosso. Isso porque o grupo é muito eclético, tem integrante de 18 a 72 anos, como é o caso do “capitão Marcos” (Marcos Roberto Costa), que corre desde a época do quartel. As pessoas moram em regiões diferentes e tem horários diferentes, é complicado reunir todo mundo”.

Giba, no alto, é um dos atletas "experientes" do grupo (Foto: arquivo Super Amigos)

Giba, no alto, é um dos atletas “experientes” do grupo (Foto: arquivo Super Amigos)

Motivos para comemorar 

Após mais de duas décadas se dedicando à Super Amigos, motivos são o que não faltam para o grupo comemorar. “Celebramos essa amizade e o espírito de equipe que perduram há tantos anos. Competimos entre nós sim, principalmente por faixa etária, porém, não participamos das corridas apenas para isso. Não somos uma firma, nunca corremos para ganhar dinheiro. Corremos por alegria, e isso é muito gratificante”, enfatiza Giba.

O complemento vem de Fernando. “A amizade faz a diferença, até no nome. Ela supera qualquer derrota, qualquer dificuldade. Tivemos um época sem patrocínio, mas cada um mantinha suas próprias despesas para que a equipe não acabasse e isso é uma coisa que levamos para a vida toda, porque acaba influenciando nas nossas família. As esposas e filhos sempre participam das confraternizações, e o legado que tem ficado é exatamente esse: o valor à amizade, mais do que à competitividade”.

Seguindo a opinião dos amigos, o grande diferencial do grupo para Paulo Henrique também é o fato de todos serem muito próximos. “Já passei por algumas das melhores equipes da cidade, antes de entrar na Super Amigos, mas elas valorizavam mais aqueles momentos de vitória dos atletas – se não acontecia, acabava a equipe. Nós não fazemos essa cobrança, não temos um líder, todo mundo ajuda. Esse é o grande ponto positivo. E, quando dá, a gente também aperta o passo e ganha”, brinca.

Para finalizar, eles destacam a participação dos irmãos gêmeos e campeões brasileiros juvenis Gilberto e Gilmar Lopes na Super Amigos e o contato direto com atletas como Ronaldo da Costa (que também correu na equipe juizforana), Geraldo Francisco de Assis e Vanderlei Cordeiro de Lima durante as provas de que participaram.

Pela frente

Por enquanto, a confraternização pelo aniversário deste ano ainda não está prevista, já que a agenda dos corredores também está cheia neste domingo, 06, por causa da meia maratona Golden Four Rio. Em contrapartida, para o grande aniversário de 25 anos, os amigos pensam em preparar uma corrida especial na cidade.

A Equipe Super Amigos de Atletismo atualmente conta com o apoio das empresas Alpha Consultoria Alimentar, Bahamas, Camorra Tênis, Cave, Foto Filmes Bruna, Pró-Vida, Rodoviário Camilo dos Santos, Scaldini, Superfreios e Victory Suítes.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *