Juiz-forano participa da Maratona de Los Angeles, nos EUA

*Reportagem: Priscila Oliveira

Paulo Sérgio Paula começou a correr em 2012, para perder peso e driblar a ansiedade (Foto: arquivo pessoal)

Quando começou a correr, sete anos atrás, o objetivo do juiz-forano Paulo Sergio Paula, de 46 anos, era ganhar qualidade de vida, perdendo peso. Hoje, com a saúde em dia, ele se prepara para fazer sua primeira prova internacional, num lugar aonde jamais imaginou chegar: os Estados Unidos. Com quatro horas de diferença para o fuso-horário de Brasília, o atleta faz contagem regressiva para estar entre os 25 mil participantes da Maratona de Los Angeles, considerada uma das dez maiores do mundo e marcada para este domingo, 24.

“Comecei a correr por conta do excesso de peso e ansiedade. Nunca imaginei que ia sair de Juiz de Fora para correr. Só por causa de maratona, já fui para Florianópolis, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória e Curitiba. Ano passado eu quase corri no Chile, mas não deu. Graças a Deus, hoje estou aqui. Minha ficha ainda nem caiu”, se alegra.

Prestes a completar os 42km pela oitava vez, o atleta revela que a oportunidade de correr em solo americano surgiu inesperadamente. “Fiz amizade com a Danielle Soldati, uma excelente pessoa, que participou da mesma excursão que eu e levou uns americanos para a Maratona do Rio. Ela tem irmão em Juiz de Fora e procurou companhia para treinar quando esteve na cidade. Viramos amigos e fui convidado para vir à casa dela, na Califórnia, para correr uma maratona. Foi um grande incentivo”.

‘Turistando’

Após concluir quatro provas desse tipo apenas em 2018, Paulo Sérgio faz questão de aproveitar a viagem. “É uma oportunidade única. Peço a Deus para poder voltar um dia, mas estou vivendo o momento. Não imaginava que isso poderia acontecer comigo. Já ‘turistei’ bastante, comi muita coisa diferente, mas agora vou descansar e começar a comer macarrão” brinca.

Na Califórnia, atleta faz contagem regressiva para uma das maiores maratonas do mundo (Foto: arquivo pessoal)

A estreia em percursos estrangeiros promete ser especial. “É uma prova tão grande, que a gente nem sabe o que vai ter no kit ainda. Treinei dois meses para essa prova, mas estou com uma memória muscular muito boa. Vai estar bastante frio, mas estou confiante em fazer uma boa corrida e terminar bem minha primeira maratona internacional”.

 

Um comentrio
  1. Sidnei Barbosa
    Março 22, 2019 | Responder

Responder a Sidnei Barbosa Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *