Treino de natação em águas abertas reúne triatletas e nadadores domingo

* Priscila Oliveira ; Foto de capa: arquivo pessoal / Leandro Fiereck

Atividade frequente em Juiz de Fora, como forma de preparo para competições locais e nacionais, o Treino de Natação em Águas Abertas volta a movimentar triatletas e nadadores neste domingo, 12. Iniciado em 2013, na Represa Dr. João Penido, mas transferido para a Represa de Chapéu D’Uvas em agosto do ano passado, devido ao período de estiagem dos reservatórios da cidade, o treinamento tem concentração em frente ao posto Graal Silvio’s, no sentido Belo Horizonte, a partir de 8h. A taxa de participação é de R$20, com direito a água, frutas e, principalmente, segurança com caiaque e Stand Up Paddle.

pablo casadio - mundo tri

Triatleta e treinador, Pablo Casadio começou a nadar ainda criança (Foto: Mundo TRI)

Sempre na água

Adepto da natação desde 8 meses de idade, o triatleta e treinador Pablo Casadio (Inspire) conta que sua primeira experiência em águas abertas foi em 2005, numa prova de Short Triathlon, na Universidade de São Paulo (USP). De lá para cá, mantém desafios constantes nas piscinas e praias, utilizando os treinos juiz-foranos como uma importante ferramenta de preparação. “Fiz um treino em Chapéu D’Uvas este ano e gostei muito, porque a água é mais clara, limpa e leve, o que deixa a natação até mais fácil. Em provas de triathlon, nadamos principalmente no mar, onde há mais variações, devido ao vento, ondas e correnteza.  Enquanto na piscina é possível ver o fundo e ter referência do sentido em que se está nadando, por causa das raias e marcações do piso, em locais como lagos, rios ou mar isso não ocorre. É mais difícil nadar em águas abertas, e os treinos são essenciais”.

Segundo ele, aí está a necessidade de redobrar a atenção, principalmente com a segurança. “Quem vai nadar em locais assim deve estar sempre acompanhado, de preferência por quem tem curso de salvamento aquático e uma estrutura ideal. Se pode ser perigoso passar mal e sofrer um desmaio enquanto estamos andando na rua, na água isso é fatal. Obviamente, é preciso treinar natação com uma certa regularidade, além de aprender a se localizar e orientar enquanto está nadando, já que demanda mais condicionamento e habilidade para nadar”, complementa. Este ano, o principal objetivo de Casadio é disputar as provas de Triathlon Olímpico no Campeonato Estadual do Rio de Janeiro.

tiago frizeiro - pessoal

Tiago Frizeiro aprendeu a nadar aos 30 anos e destaca: “Basta força de vontade” (Foto: arquivo pessoal)

Determinação de sobra

Para Tiago Frizeiro (Olympius), apesar do entusiasmo com a natação ainda na infância, a oportunidade de se dedicar ao esporte veio apenas há dois anos. “Aos 30, conheci uns amigos triatletas que me incentivaram a treinar junto com eles e, logo de cara, pensei em águas abertas, por ser um desafio, não ter raias nem chão para pisar. Faltavam três meses para o XTerra Juiz de Fora e minha maior preocupação era sair da água. Não conseguia nadar bem ainda; o medo de afogar me preocupava. Fiz muitos treinos debaixo de chuva, frio e calor para conseguir enfrentar a prova, e completei a travessia em 40 minutos, o que não me motivou. Queria mais. Decidi continuar o treinamento e refazer a competição. No ano passado, os treinos diários me fizeram ter confiança, não senti nenhuma preocupação e terminei em 16 minutos”.

Acostumado a treinar na piscina pela praticidade e segurança, o nadador, que é educador físico com especialidade em treinamento funcional, aproveita as aulas especiais em Chapéu D’Uvas para se orientar cada vez melhor quanto às provas em águas abertas. Novamente, o foco é a participação no XTerra local, além da disputa de uma etapa do circuito Rei e Rainha do Mar. “Dependendo da represa ou mar, a situação pode mudar e devemos estar preparados para isso. Muitas pessoas tem dificuldade de começar a nadar pela falta de coordenação etc. Eu entrei na água e não sabia nada, mas, com um bom professor, não existem dificuldades. Nada é impossível para quem quer começar no esporte. Basta ter força de vontade”, enfatiza.

treino de natação em águas abertas leandro fiereck observando - pessoal

Professor Leandro Fiereck, supervisionando um treino na represa (Foto: arquivo pessoal)

Oportunidade imperdível, e segura

Coordenador de uma equipe detentora de caiaques e pranchas de Stand Up Paddle, além de oferecer orientações técnicas de natação em águas abertas, o professor e organizador Leandro Fiereck volta a destacar algumas medidas de segurança primordiais para o sucesso de qualquer evento desse tipo. E deixa um convite. “Proteger os atletas de embarcações a motor e, principalmente, dar suporte para remoção da água, caso alguém passe mal, tenha câimbra, fique cansado etc. Eles terão suporte técnico, hidratação, frutas e um local de treino top. Domingo também é dia de nadar. Bora treinar em águas abertas… Não percam mais essa oportunidade”. A iniciativa é apoiada pela WIN sports&mkt.

Clique AQUI para saber mais sobre o Treino de Natação em Águas Abertas.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *